A VOZ DO MILITANTE: Camarada Claudineth Cerqueira

“APELO À EDUCAÇÃO PATRIÓTICA DA JUVENTUDE”

 

Luanda, 11 ABRIL 17 (2ª FEIRA) - A voz de hoje é a da camarada Claudineth Cerqueira, militante do MPLA desde 2002. Médica gastrenterologista, ela é a directora do Banco de Urgência do Hospital Geral de Luanda.

Nome?

Chamo-me Claudineth Victoria Damião Fragoso Cerqueira.

 Idade?

Tenho 32 anos de idade.

Naturalidade?

Sou natural da província de Luanda, República de Angola.

Profissão?

Sou médica gastrenterologista.

Ocupação?

Actualmente, sou a directora do Banco de Urgência do Hospital Geral de Luanda.

Desde quando é militante do MPLA e qual a sua trajectória como tal?

Sou militante do MPLA desde 2002. Iniciei a minha carreira militante nas fileiras da JMPLA, no ano 2000, em Havana, República de Cuba, onde fui eleita coordenadora do Núcleo do Ocidente. Fui a 1ª secretária do Comité da JMPLA em Cuba, de 2003 a 2009. Em 2002, fui eleita membro do Comité Nacional da JMPLA. Pelo Comité Nacional da JMPLA, fui, de 2009 a 2011, coordenadora adjunta do Grupo de Acompanhamento à província da Lunda-Sul, nordeste de Angola e coordenadora do Grupo de Acompanhamento ao então município da Maianga, em Luanda. Pela OMA, onde sou membro do seu Comité Provincial de Luanda, desde 2016, sou a coordenadora do Grupo de Acompanhamento ao distrito urbano Lar do Patriota e membro do Grupo de Acompanhamento ao município de Belas.

Em que Comité de Acção do Partido (CAP) milita actualmente?

Milito no CAP n.º 583, na Cidade do Kilamba, município de Belas, província de Luanda.

No seu CAP, tem cumprido com as todas as obrigações de militante? Como?

Sim. Participo em todas as actividades político-partidárias e pago as minhas quotas, pontualmente.

Como avalia a prestação do MPLA, na actual fase de luta pelo desenvolvimento e progresso de Angola?

A avaliação que faço é positiva. O MPLA tem exercido uma acção determinante na formação de quadros para o País, que hoje dão a sua contribuição valiosa ao desenvolvimento. A formação partidária e a disciplina dos seus militantes são um exemplo disso.

Como o MPLA deve encarar e superar os desafios do presente e do futuro?

O MPLA deve continuar a ser o Partido de vanguarda, que sempre foi. O MPLA deve continuar a honrar os princípios defendidos pelos heróis da Pátria, nomeadamente, o saudoso Presidente Agostinho Neto e o nosso Arquitecto da Paz, Camarada Presidente José Eduardo dos Santos. Com a força do passado e do presente, o MPLA vai construir um futuro melhor para os angolanos.

Tem ajudado na consciencialização dos cidadãos, na sua área de residência ou não, sobre os seus deveres e direitos de cidadania? Como?

Tenho. Faço parte, também, da Associação Juvenil de Recreação, Desporto e Cultura (AJURDEC), através da qual convenci muitos jovens a fazerem o seu registo eleitoral. O mesmo aconteceu com os meus estagiários, que estão todos registados.

Fez a sua prova de vida, para as próximas Eleições Gerais?

Fiz sim. É um bom gesto de cidadania.

Quais as perspectivas que vê para Angola, volvidos 15 anos desde a conquista da paz definitiva?

Angola é um novo país. Já podemos viajar calmamente de uma província para a outra e faço fé disto, porque já trabalhei na província do Cuanza-Norte e viajava livremente. Temos novas estradas, novos hospitais, novas cidades, em todo o País. Há mais emprego para os jovens.

Uma mensagem aos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA e ao povo angolano em geral!

O MPLA é um partido forte e moderno, com uma vasta experiência. É o Partido da verdade e do povo. Trabalha com o povo e para o povo e garante a estabilidade aos angolanos. Devemos, todos nós, dar o nosso contributo para preservar as conquistas alcançadas, como a Independência e a Paz. Devemos continuar a trilhar o caminho do desenvolvimento, apostando na diversificação da economia. Apelo à educação patriótica da juventude, para que os jovens sejam bons cidadãos, que respeitem os valores cívicos, culturais e morais. 

PortalMPLA/ER/AB

Comentários

não há comentários.

Fazer um comentário