A VOZ DO MILITANTE: Camarada Josenando Teófilo

“A PRESTAÇÃO DO MPLA É POSITIVA”.

 

Luanda, 20 JANEIRO 17 (6ª FEIRA) - A voz de hoje é a do camarada Josenando Teófilo, militante do MPLA desde 1975. PhD em Parasitologia e Epidemiologia, ele é o responsável pelos Serviços de Luta e Controlo da Tripanossomíase (doença do sono) da República de Angola e professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade Agostinho Neto, em Luanda. 

Nome?

Chamo-me Josenando Teófilo.

Idade?

Tenho 67 anos de idade.

Naturalidade?

Sou natural da Missão Evangélica do Quibocolo, município da Maquela do Zombo, província do Uíge, filho de mãe oriunda da Serra da Kanda e de pai oriundo de Pete Nkuso, município da Damba, na mesma província.

Profissão?

Sou MD, ESP, Msc e PhD em Parasitologia e Epidemiologia. 

Ocupação?

Sou professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade Agostinho Neto; Responsável pelos Serviços de Luta e Controlo da Tripanossomíase, dirigindo pessoalmente, no terreno, as equipas móveis de rastreio e luta antivectorial nas áreas de Pango-Aluquém, Quibaxe, Bula Atumba, Bembe, Mbanza-Congo, Cacuso e em outras localidades das províncias do Uíge, do Zaire, do Cuanza-Norte, do Cuanza-Sul, de Malanje, do Bengo, de Cabinda (principalmente na localidade de Iema) e arredores de Luanda; Sou médico “in situ” e “in loco” nas operações de apuramento dos doentes de sono, militares e civis, nas áreas de aquartelamento dos acordos de paz; Actualmente, dirijo o ICCT, acrescido por uma nova missão de investigação das doenças parasitárias, que constituem 58 por cento do fardo mórbido do quadro nosológico de Angola.

Desde quando é militante do MPLA e qual a sua trajectória como tal?

Em 1975, integrei-me numa Célula clandestina do MPLA, na então República do Zaíre, actual República Democrática do Congo, precisamente no Campus Universitário de UNAZA, em Kinshasa, actual UNIKIN, com alguns camaradas, tais como o António Fuka, Miguel Kiassekoka e Disadidi. Em 1978, depois de ter concluído a Licenciatura em Medicina, regressei a Angola e trabalhei, sucessivamente, no Luena, em Cazombo e em equipas móveis de combate à doença do sono ao norte do Rio Cuanza, mas sempre com os ideais patrióticos de militante.

Em que Comité de Acção do Partido (CAP) milita actualmente?

Actualmente, milito no CAP n.º 170 do município do Cazenga, província de Luanda. O meu Cartão de Militante do Partido, datado de 25 de Fevereiro de 1999 tem o n.º 13776 LDA 99.

No seu CAP, tem cumprido com todas as obrigações de militante? Como?

Sim. Desde que tenha conhecimento dos deveres que me forem incumbidos, sem que esquecer os conselhos permanentes que dou para fazer crescer o Partido e o Executivo do nosso país.

Como avalia a prestação do MPLA na actual fase de luta pelo desenvolvimento e progresso de Angola?

 A prestação do MPLA é positiva, tendo em conta as orientações dadas ao Executivo e dos mecanismos de supervisão, aconselhamento e de rectificações dos desvios susceptíveis na linha de implementação das acções do Programa do Governo.

Como o MPLA deve encarar e superar os desafios do presente e do futuro?

Os desafios do presente e do futuro devem ser anotados, delineados e colocados numa grelha de análise FOFA (pontos fortes e pontos fracos, ameaças e oportunidades), para serem melhor equacionados.

Tem ajuda na consciencialização dos cidadãos, na sua área de residência ou não, sobre os seus deveres e direitos de cidadania? Como?

Tenho sim. Faço-o, tanto na minha área de residência como no meu local de trabalho, no que tange aos deveres e direitos da cidadania; É um dever cívico e patriótico de cada um, em conversas, palestras e reuniões, em todo o tempo e lugar.

Já fez a sua prova de vida, para as próximas Eleições Gerais?

Já fiz, sim.

Quais as perspectivas que vê para Angolça, volvidos apenas 14 anos desde a conquista da paz definitiva?

As perspectivas são de um futuro melhor, tendo em conta o somatório dos ganhos que se obtêm no progresso do desenvolvimento maximizado, do ponto de vista de recursos humanos, materiais e económicos, em paz.

Uma mensagem aos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA e ao povo angolano, em geral.

Aos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA e ao povo angolano, em geral, deixo-lhes uma mensagem de esperança para um futuro brilhante de trabalho, civismo e honestidade, para fazerem de Angola um país em pleno desenvolvimento e o melhor para se habitar e viver.

PortalMPLA/RF/AB

 

Comentários

não há comentários.

Fazer um comentário