56 anos do MPLA: Vice-presidente discursou no Luena

Moxico

O camarada Roberto de Almeida reiterou, hoje, sábado (08),na cidade do Luena, que o MPLA é fiel depositário da confiança e das esperanças de todos os angolanos, buscando neles a força e a inspiração, para ser a organização política forte e vencedora que é hoje.

 

 

Luena, 08/12 - O vice-presidente do MPLA, camarada Roberto de Almeida, reiterou, hoje, sábado, na cidade do Luena, o propósito do Partido de continuar a construir uma sociedade na qual os angolanos desfrutem, em igualdade de circunstâncias, dos mesmos direitos e das mesmas liberdades, com garantias materiais políticas e jurídicas para todos.

Roberto de Almeida usava da palavra durante o Acto Central Nacional do 56º aniversário da fundação do MPLA, no Largo da Juventude da capital da província do Moxico (leste), para onde acorreram centenas de militantes, simpatizantes e amigos do Partido.

Aquele dirigente sublinhou que o MPLA, após mais de cinco décadas de existência, continua uma formação política nacional e independente, ideologicamente assente no Socialismo Democrático e que congrega, nas suas fileiras, cidadãos angolanos, sem distinção de grupo social, sexo, cor da pele, origem étnica, crença religiosa ou lugar de nascimento.

Nisso, pelo que afirmou, combina na sua vocação de Partido de massas com a integração e participação activa de quadros e intelectuais de todos os sectores e franjas nacionais e patrióticas, que aceitem e cumpram o seu Programa e os seus Estatutos.

Ainda no seu discurso disse que, de acordo com os seus documentos fundamentais, o MPLA defende o princípio democrático, consubstanciado na soberania popular, na democratização contínua da sociedade, no sufrágio universal directo, no pluralismo e no direito à oposição democrática.

Neste contexto, Roberto de Almeida frisou que a celebração dos 56 anos do MPLA ocorre num momento especial, quando os angolanos acabam de dar mais um voto de confiança ao Partido, nas Eleições Gerais, realizadas no dia 31 de Agosto deste ano.

Disse que a vitória inequívoca do MPLA e do seu então cabeça de lista o Camarada Presidente José Eduardo dos Santos, vem coroar a brilhante trajectória do Partido, que, desde 1956, ainda como Movimento de Libertação (Movimento Popular de Libertação de Angola), soube interpretar, fielmente, os mais legítimos anseios do povo angolano e conduzi-lo à democracia e à Paz definitiva, tendo-se constituído, por mérito próprio, no fiel depositário da confiança e das esperanças de todos os angolanos, buscando neles a força e a inspiração para ser a organização política forte e vencedora que é hoje.

Veja todas as notícias