BENGO: Governo inicia combate ao furto de medicamentos nos hospitais

CREATOR: gd-jpeg v1.0 (using IJG JPEG v62), quality = 80

João Miranda deu um prazo de oito dias, a partir de 4ª feira (11), para o Gabinete Provincial da Saúde apresentar um Plano de Acção.

 

Caxito, 12 OUTUBRO 17 (5ª FEIRA) - O governador da província do Bengo, camarada João Miranda, deu um prazo de oito dias, contados a partir de quarta-feira (11), para que o Gabinete Provincial da Saúde apresente um Plano de Acção para estancar, definitivamente, o furto de medicamentos nos hospitais e a cobrança ilegal dos serviços prestados aos cidadãos.

No que toca ao Gabinete Provincial da Educação, João Miranda orientou o respectivo director para que mantenha um diálogo permanente com o Sindicato de Professores, para colher dele contribuições valiosas para o bom funcionamento do sector e esvaziar a carga de motivações políticas, encobertas em aparentes reivindicações.

O governador, que empossava, na cidade de Caxito, 12 directores de Gabinetes Provinciais e seis administradores municipais, chamou a atenção para o início, em Angola, de um novo ciclo político, que exige dos servidores públicos a renúncia de velhas atitudes, que potenciam a estagnação irremediável do País.

Para o êxito dessas orientações, defendeu o aperfeiçoamento da cadeia de complementariedade entre a polícia e os tribunais, que, eles também, devem acabar com as práticas erradas e com o deliberado burocratismo de funcionários, que complicam a vida do povo.

Nas Eleições Gerais de 23 de Agosto de 2017, o MPLA venceu por 4/1 no Círculo Provincial do Bengo, litoral-norte de Angola, com 66,90 por cento, dos 102 mil e 556 votos válidos, cabendo-lhe, por isso, quatro dos cinco assentos parlamentares locais.

PortalMPLA/AB

Veja todas as notícias