Cabinda: Presidente entrega fonte de energia fiável e de qualidade

Ca Btérmica

Cabinda, 20/08 - O Camarada Presidente José Eduardo dos Santos inaugurou, segunda-feira (20), na localidade de Malembo, município de Cabinda, uma nova central térmica, uma fonte de produção e de distribuição de energia eléctrica para a cidade sede e a vila de Lândana.

Com este empreendimento, a província de Cabinda passa a dispor de uma fonte de energia eléctrica fiável e de qualidade, em quantidade suficiente para cobrir a demanda existente, possibilitando a instalação de novas indústrias, que vão contribuir para a redução da pobreza e para o melhoramento das condições de vida da população.

Funcionamento e benefícios

Localizada a cerca de 30 quilómetros, a norte, da cidade de Cabinda, a nova Central Térmica de Malembo tem duas turbinas, com um sistema duplo (diesel e gás) com capacidade de produção de 35 MW, em ciclo aberto cada, contando com as subestações de 60/30 KV, em Malembo, 60/15 KV, na cidade de Cabinda, bem como a parte das linhas de distribuição de potência, em circuito duplo de 30 e 60 KV.

No acto de inauguração, o Presidente José Eduardo dos Santos, cabeça de lista do MPLA às Eleições Gerais e Chefe do Executivo angolano, visitou demoradamente a central térmica, tendo recebido explicações, da parte do ministro da Energia, camarada João Baptista Borges, sobre o seu funcionamento e sobre os seus benefícios para o bem-estar dos habitantes da província.

A central conta com 140 quilómetros de linhas, 13 postos de transformação e 35 postes de iluminação pública, permitindo o acesso à rede pública de electricidade, desde o município de Cacongo até ao sul da cidade de Cabinda, com duas mil residências, correspondendo a cerca de 14 mil e 430 consumidores.

Ela permitirá levar a electricidade até às áreas servidas actualmente por centrais isoladas da Agrekko (grupos geradores) nas áreas de Luvassa, norte e sul, Chiweca, Madombolo, Povo Grande 1 e Povo Grande 2, bem como nas áreas densamente povoadas, como Sassa Zau, Subantando, Tando Zinze, Santa Catarina, Fortaleza, Yema, Yabi, Zongolo e Tali Sumbe.

As obras de edificação desta infra-estrutura, à guarda da ENE (Empresa Nacional de Electricidade) tiveram início em 30 de Outubro de 2007, tendo terminado a 15 de Maio de 2012. Custou, aos cofres do Estado angolano, 91 milhões, 890 mil e 286,99 de euros (um euro equivale a cerca de 120 kwanzas).
Fonte ANGOP/AB

Veja todas as notícias