Cabinda: SBP avalia funcionamento das infraestruturas de impacto social

Delegação encabeçada pela Vice-Presidente do MPLA efectuou visitas as obras do Estado.

PortalMPLA, 08 NOVEMBRO 19 (6ª FEIRA) –Os membros do Secretariado do Bureau Político do MPLA, efectuaram visitas de constatação às obras de impacto social em curso na província de Cabinda.

A delegação encabeçada pela Vice-Presidente do MPLA, camarada Luísa Damião começou por visitar o Hospital Materno Infantil "1° de Maio" onde percorreu as várias áreas de serviços da unidade hospitalar.

A comitiva conversou com o corpo técnico da instituição e na sala de recuperação pós-parto, dialogou e transmitiu palavras de carinho as parturientes, tendo ofertado enxovais aos bebés presentes .

No final da visita, Luísa Damião efectuou a entrega de medicamentos e bens alimentares de primeira necessidade para acudir algumas preocupações ligadas ao provimento nutricional e assistência de fármacos.

O director geral do hospital, Alberto Tembo agradeceu o gesto e disse que os bens ofertados vão melhorar a dieta alimentar dos pacientes que se encontram internados e todos aqueles que acorrem à unidade a procura dos seus serviços.

Com uma capacidade de 67 camas, o hospital tem vários serviços de internamento e realiza uma média de 40 partos por dia e sete cesarianas.

Hospital Geral de Cabinda

Em acto contínuo, a comitiva visitou igualmente as obras do futuro Hospital Geral de Cabinda que se encontra ainda na sua primeira fase de construção. A empreitada que conheceu o início das obras em Outubro de 2017, contará com os serviços de medicina interna, pediatria, cirurgia, ginecologia e obstetrícia, uma unidade de cuidados intensivos, um banco de urgência, imagiologia, fisioterapia, hemodiálise e uma morgue.

O director da obra, Cruz Oliveira apontou que a unidade hospitalar terá todas as valências para o atendimento médico desde o diagnóstico precoce de doenças, bloco operatório, salas de partos e outros serviços.

O responsável avançou que a obra comporta duas fases, onde a prioridade recai para a construção de uma área de internamento com capacidade de 110 camas, cuja estrutura física já está concluída.

DG/HT

Foto: AS

/www.mpla.ao

Veja todas as notícias