Comboio volta a apitar no Bié 33 anos depois

Depois de 33 anos de paralisação, o primeiro comboio ferroviário de passageiros e de carga voltou a apitar magistralmente na cidade do Kuíto, capital da província do Bié (centro), diante de milhares de pessoas, que se juntaram na estação local, para ver, com os seus próprios olhos, que o Executivo do MPLA quer e está a diminuir o seu sofrimento.
No seu Programa de Governo 2009/2012, o MPLA propôs-se a concluir a reabilitação dos Caminhos-de-Ferro de Luanda, de Moçâmedes e de Benguela, em toda a sua extensão, sem descurar a formação de quadros em todas as áreas (Gestão, Manutenção e Exploração) e a introdução, nos centros urbanos servidos pelas vias férreas, de equipamentos modernos para o transporte de passageiros, o que é realidade.
Por isso mesmo, o ministro dos Transportes, camarada Augusto da Silva Tomás, acompanhado do PCA dos CFB e de outros altos funcionários do sector, tomaram a parte dianteira dos passageiros dessa viagem inaugural dos comboios da linha proveniente de Benguela.
Com efeito, a reposição das infra-estruturas dos CFB constam de um programa que o titular da pasta dos Transportes tem vindo a cumprir de há uns dias à esta parte, pelo que 10 estações ferroviárias foram inauguradas horas antes de a caravana chegar ao Bié, pelo ministro dos Transportes, no itinerário do Huambo/Bié.

Concretização de sonhos

A inauguração das estações, consubstanciadas com o regresso dos comboios, tem vindo a concretizar o sonho das populações da região central do país e de todo o país, de circularem livremente, com as suas mercadorias e bagagens, de Benguela ao Bié e vice-versa, o que há muitos anos não se podia fazer por via-férrea.
Ainda no âmbito do mesmo programa, será prestada especial atenção à estação da linha Kunje/Kuito, que terá vagões de primeira classe e que vai reatar a circulação ferroviária entre as duas cidades.
Com a reabilitação dos Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB) naquelas localidades, vai registar-se um relançamento socio-económico nas regiões abrangidas, nomeadamente de Benguela, do Huambo, do Bié e do Moxico.
Entretanto, as estações ferroviárias do CFB, no ramal Lobito/Povoação das Bimbas, apenas na província de Benguela, inauguradas (14/06), pelo ministro dos Transportes, permitiram criar 240 postos de trabalho em várias especialidades.
Também no âmbito da reabertura das linhas ferroviárias em todo território nacional, o ministro dos Transportes procedeu, no mesmo dia 14 deste mês, a inauguração das principais estações e apeadeiros do CFB, nas localidades do Tchindjenje, de Ucuma, de Longonjo, do Lépi, da Calenga, da Caála e de São Pedro, todas na província do Huambo.

Veja todas as notícias