Intervenção da Vice-Presidente do MPLA no 16º Congresso do PAICV

PortalMPLA, 1 FEVEREIRO  20, (SÁBADO) – Intervenção da Vice-Presidente do MPLA, Camarada Luísa Damião, neste sábado (01), no 16º Congresso Ordinário do PAICV.

Camarada Janira Hopffer Almada, Presidente do PAICV;

Camaradas Delegados ao XVI Congresso Ordinário do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV);

Ilustres convidados;

Minhas Senhoras e meus Senhores;

É com imensa satisfação que temos a honra de transmitir as efusivas saudações de irmandade do MPLA e do seu líder, o Camarada Presidente João Lourenço, aos militantes, quadros e dirigentes do PAICV ao XVI Congresso Ordinário e ao Povo de Cabo Verde.

Uma saudação muito especial e renovados agradecimentos à Camarada Janira Hopffer Almada, Presidente do PAICV, pelo nobre convite que nos formulou e a forma calorosa e fraternal de que é alvo a delegação do MPLA, desde a nossa chegada a esta linda cidade da Praia, capital de Cabo Verde, terra da Morabeza, da Morna, da Coladeira e do Funaná.

A nossa presença neste importante conclave reflecte o calor da amizade, da cooperação e da solidariedade que unem, de forma muito intensa, os nossos Países e Partidos, que datam desde a luta de libertação.

Aqui, sentimo-nos em casa, assim como os Cabo-Verdianos em Angola. Este sentimento mútuo traduz bem o legado das gerações de líderes que nos antecederam e que encontra a sua expressão mais alta em Amílcar Cabral, símbolo forte e uma das referências obrigatórias de Cabo Verde.

A propósito, Amílcar Cabral teve também as suas vivências marcantes em Angola, onde, entre 1955/56 por exemplo, organiza e dirige a Brigada de Estudos Agrológicos da Sociedade Agrícola de Cassequel, em Angola.

Os feitos de Amílcar Cabral, à semelhança do Presidente Fundador da Nação Angolana, António Agostinho Neto, ultrapassam fronteiras e devem continuar a ser a fonte de inspiração das novas e futuras gerações, imbuídas da capacidade de criar e inovar, face aos desafios do presente e do porvir.

Cabo Verde, país irmão, foi um dos lugares em que se forjaram fervorosos militantes e guerrilheiros do MPLA, do processo 50, desterrados em Tarrafal. Àqueles destemidos heróis viveram na carne as agruras da vida e da brutalidade do então regime colonial Português.

Sentimos a vossa solidariedade, na altura, face ao que se estava a passar.

Aproveitamos este momento para reiterar o nosso profundo e sincero reconhecimento, pelo vosso carinho e humanismo. 

Caros Congressistas;

Distintos convidados;

O MPLA acompanha com especial atenção o que se passa em Cabo Verde e reitera a firme convicção de que está com o Povo Cabo-Verdiano, nos bons e maus momentos. A nossa relação interlaça-se e é, seguramente, inquebrantável.

Caros Camaradas;

Vivemos num mundo em transformação à velocidade luz, onde as mudanças acontecem rapidamente e, conforme teorizam vários autores, um mundo volátil, imprevisível, complexo e ambíguo.

Neste contexto, os nossos esforços devem ser sempre, inteligentes e avisados, focados no desenvolvimento sustentável dos nossos países e de África, apostando numa governação transparente e responsável, com vista à realização dos sonhos dos nossos povos e, em particular, dos nossos jovens. 

Em Angola, sob liderança do Camarada Presidente João Lourenço, vive-se um período de reformas importantes e decisivas, conducentes ao desenvolvimento socio-ecónomico e concomitantemente, à melhoria das condições de vida do nosso povo.  

O foco assenta na boa governação, que passa, dentre várias frentes, por um firme e cerrado combate à corrupção, à impunidade e ao nepotismo, que como saberão, corroem e dilaceram o tecido económico-social de qualquer País e inibem o investimento estrangeiro.

Caros Congressistas;

Distintos Convidados;

Formulamos votos de felicitações à Presidente eleita do PAICV, Doutora Janira Hopffer Almada, uma jovem mulher de fortes convicções que assume com bravura, determinação e resiliência, entregar-se às causas justas e nobres, porque acredita num Cabo Verde melhor para todos.

Estamos plenamente convencidos de que, o PAICV tem uma líder, com excelente visão para transformar e modernizar Cabo Verde e, no concernente às relações internacionais, a sua visão mobilizará os investidores para o seu país. Aliás, fica bem expresso no rico conteúdo da Moção de estratégia a que tivemos acesso.

As nossas felicitações antecipadas estendem-se igualmente aos membros do Conselho Nacional e da Comissão Nacional de Jurisdição e Fiscalização do PAICV, que serão eleitos neste Congresso.

Caros camaradas;

Cabo Verde, Angola e as demais Nações que integram a Comunidade dos Países da Língua Portuguesa, têm desafios importantes, que passam por tornar a CPLP num espaço mais atractivo, de maior aproximação e apropriação dos cidadãos, da sociedade civil, dos empresários e de outros agentes da Comunidade.

Os países membros da CPLP têm ainda o desafio de aligeirar, cada vez mais, as condições necessárias que permitam uma maior mobilidade dos cidadãos, diálogo entre os jovens, intercâmbio entre empresários, académicos, fazedores e promotores da cultura e de outros segmentos importantes dos nossos países.

Estes e outros desafios que acabámos de assinalar, podem contar também com a contribuição dos cidadãos e constar da agenda dos Partidos, no sentido de instarem os respectivos governos a prestarem uma atenção especial à CPLP e sem olvidar a permanente instabilidade política e crises pós-eleitorais, na República da Guiné-Bissau. 

Auguramos que este Congresso aumente a vitalidade e a força do PAICV, que cada um dos delegados saia com a forte convicção de que, os desafios que se esperam ao grande PAICV são enormes.

As vitórias na vida colectiva e dos partidos políticos em particular, residem na unidade e coesão internas em torno da sua liderança e dos objectivos estratégicos do Partido.    

Caros Camaradas;

Reiteramos as nossas felicitações e os nossos agradecimentos. Contem com o nosso apoio, sempre que formos úteis, e nós, certamente, contamos igualmente convosco.

Continuem a dar o vosso imprescindível contributo, com audácia e toda inteligência estratégica, tornando cada vez mais forte o PAICV e os resultados serão, certamente, gratificantes, para “Acreditar” que “A Luta Continua e a Vitória é Certa”, como afirmamos de viva voz, no MPLA.

Viva o XVI Congresso do PAICV!

Viva o PAICV!

VIVA o MPLA!

A Luta Continua e

A Vitória é Certa.

Muito obrigada e Deus nos abençoe.

/www.mpla.ao

Veja todas as notícias