JOÃO LOURENÇO: O MPLA “deve ser o primeiro a levantar sua voz”

Dirigente pediu, nesta 6ª feira (30), fiscalização às suas próprias acções, como servidor público.

PortalMPLA, 30 NOVEMBRO 18 (6ª FEIRA) – O Camarada João Lourenço quer que, doravante, o MPLA fiscalize as suas acções, enquanto Presidente do Partido e da República de Angola e as do Executivo, de que é titular do respectivo poder, “para que eles, enquanto seres humanos, não caiam em certas tentações”.

Isso mesmo disse-o, na manhã desta 6ª feira (30), na abertura da 6ª Sessão Ordinária do Comité Central do MPLA, o órgão deliberativo máximo do Partido no intervalo dos congressos, onde exortou à unidade e coesão, “verdadeiramente comprometidos com a transparência, a boa governação, com o combate contra a corrupção, contra a impunidade, contra o nepotismo, pela defesa dos direitos fundamentais dos cidadãos”.

“Diz-se que o poder corrompe. Daí a necessidade de nas democracias, para além dos tribunais, cuja missão é julgar e condenar, se for caso disso, para prevenir o crime devem existir sistemas de freios, como o são o papel fiscalizador do Parlamento, órgão eleito, representando os interesses do povo ou, ainda, a acção da sociedade civil que, embora não eleita, representa também os interesses de estratos e franjas da população” – advogou.

Nesta esfera, o Presidente do MPLA considerou importante que o próprio Partido, “pelas responsabilidades que tem, pela necessidade de partirem de si os bons exemplos para a sociedade, deve desempenhar, também, esse papel dissuasor, de freio aos eventuais apetites dos gestores dos recursos do Estado”.

“O Partido deve ser o primeiro a levantar sua voz, sempre que surjam sinais preocupantes de constituição de um império económico de uma família, uma pessoa, não importa quem, sobretudo quando são comprovadamente usados fundos públicos ou de empresas públicas, empreendimentos que depois aparecem registados como privados” – advertiu.

O Camarada João Lourenço é o Presidente do MPLA desde oito de Setembro último, eleito durante o 6.º Congresso Extraordinário do Partido, em substituição do Camarada José Eduardo dos Santos, que o liderava desde 20 de Setembro de 1979.

/AB

/Foto: DDS

Veja todas as notícias