LUANDA/CAMPANHA 2017: MPLA com chave de ouro no encerramento

Trezentos e 50 mil cidadãos firmes, neste sábado, 19, no distrito urbano da Camama, com Zedú e João Lourenço (foto).

Luanda, 18 AGOSTO 17 (SÁBADO) – Trezentos e 50 mil cidadãos fecharam, com chave de ouro, neste sábado (19), no distrito urbano da Camama, município de Talatona, a Campanha Eleitoral do MPLA, iniciada a 23 de Julho último e que se constituiu num momento de festa, de elevado sentido patriótico.

MPLA vai instaurar as autarquias

No comício realizado, a propósito, com a presença destacável do Arquitecto da Paz, Camarada Presidente José Eduardo dos Santos (na foto à esquerda), o candidato do MPLA a Presidente da República de Angola, João Lourenço, debruçou-se sobre vários temas da actualidade nacional, dos quais sobressaiu a necessidade de o País passar a ter já as autarquias, isto é, o poder local instituído, para a resolução dos muitos problemas, que são de difícil solução no actual modelo de governação.

Segundo anunciou, o próximo Governo do MPLA vai tornar realidade a instauração gradual das autarquias em todo um País, a começar por Luanda - que tem muita gente e muitos chefes, como se analisa superficialmente -, no que se traduzirá num sonho de muitos jovens e adultos, até na oferta de empregos, que será maior.

João Lourenço apontou que, com a criação das câmaras municipais, no contexto das autarquias, haverá uma maior inserção política, económica e social dos cidadãos, na resolução dos problemas do dia-a-dia, sem que ter que se esperar pelo poder central, para a resolução nos domínios da educação, da recolha e tratamento do lixo, do nomeadamente, nos domínios do saneamento básico, do fornecimento de água potável e de energia eléctrica, que vão encontrar melhor solução a nível dos municípios.

Em jeito de sustentação, afirmou que as câmaras municipais vão dar mais emprego, mais água potável e energia eléctrica às populações, pelo que esse tipo de problemas vai encontrar melhor solução, advogando que o poder eleito vai, com isso, diminuir as assimetrias regionais, de que Angola ainda padece.

Nas Eleições Gerais de 2012, o MPLA venceu por 4/1 no Círculo Provincial de Luanda, litoral-centro de Angola, ocupando, por isso, quatro dos cinco assentos parlamentares, com 59,47 por cento, dos um milhão, 581 mil e 943 votos válidos.

PortalMPLA/AB

Veja todas as notícias