LUANDA: OMA contra crimes hediondos em Angola

O Comité Provincial da organização feminina do MPLA cumpre, desde sábado (25), uma campanha de 16 dias de activismo contra a violência.

 

Luanda, 27 NOVEMBRO 17 (2ª FEIRA) - O Comité Provincial de Luanda da OMA, organização feminina do MPLA, abriu sábado (25), no município do Kilamba-Kiaxi, uma campanha de 16 dias de activismo contra a violência no género.

A cerimónia, que juntou dirigentes do MPLA, da OMA, da JMPLA e mulheres de diferentes estratos sociais, começou com a inauguração de uma exposição fotográfica, com imagens que ilustram as várias formas e manifestações da violência e suas consequências, que está patente ao público.

O acto foi orientado pela secretária provincial de Luanda da Organização da Mulher Angolana, camarada Eulália Rocha, que, num discurso, valorizou a recente aprovação da Lei contra a Violência Doméstica, como uma conquista das famílias angolanas, tendo expressado preocupação pelo aumento de crimes hediondos contra as mulheres, particularmente, que têm ocorrido em vários pontos de Angola.

A dirigente feminina revelou que, só neste ano, os centros de Aconselhamento Familiar da OMA registaram cinco mil e 64 casos diversos de violência doméstica, pelo que vão continuar a trabalhar, gratuitamente, junto das comunidades, para melhorar a educação jurídica dos cidadãos.

O momento de reflexão que se seguiu teve como lema “da paz no lar, à paz no Mundo, juntos pelo fim da violência baseada no género”.

PortalMPLA/ER/AB

Foto: Arquivo

Veja todas as notícias