LUTO/LUKOKI: Elogio Fúnebre do Bureau Político do MPLA

“O ilustre desaparecido tinha qualidades próprias, que lhe caracterizavam como um homem culto, metódico, trabalhador e modesto”.

 

PortalMPLA, 08 OUTUBRO 18 (2ª FEIRA) – Os restos mortais do camarada Ambrósio Lukoki, falecido a um de Outubro, em Luanda, por doença, aos 77 anos de idade, foram a enterrar sábado (06), na comuna de Quibocolo, município de Maquela do Zombo, província do Uíge, norte de Angola.

Na ocasião, o Bureau Político do MPLA, na voz do seu secretário para os Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, camarada Pedro Neto, apresentou o seguinte Elogio Fúnebre:

“Queridos familiares do Camarada AMBRÓSIO LUKOKI,

Minhas senhoras e meus senhores

Excelências,

Caros camaradas,

É sempre motivo de grande consternação vivermos momentos como este.

Hoje, cumprimos o doloroso dever de acompanhar à sua última morada aquele que, em vida, foi um lutador incansável pela libertação nacional e pela afirmação de Angola, como país livre, independente, soberano e respeitado, no concerto das nações.

Hoje, viemos sepultar, na sua terra natal, o Camarada AMBRÓSIO LUKOKI “NZAKIMWENA”, um destacado filho da Pátria, que, aos 77 anos de idade, nos despede, deixando-nos com a sensação de que alguma coisa parou.

Eis-nos, assim, chegados ao fim de um suplício, que, nos últimos tempos, se abateu sobre a vida deste grande camarada, que atormentava à ele e à todos nós, particularmente à sua inditosa família, também ela sofrida, pelos dias e noites de muita angústia.

Em circunstâncias como esta, esvaziam-se as palavras, para significar a importância do evento, porque ocorre num momento de profunda dor, pois, é mais uma perda irreparável, que abala as nossas fileiras, deixando um grande vazio, difícil de preencher.

No Mundo em que vivemos não há duas pessoas iguais.

O ilustre desaparecido tinha qualidades próprias, que lhe caracterizavam como um homem culto, metódico, trabalhador e modesto, uma grande referência do nacionalismo angolano, um combatente da primeira hora, militante coerente e defensor dos princípios do MPLA, o seu Partido do Coração, cuja trajectória revolucionária e progressista se mistura à sua vida e pensamento. 

AMBRÓSIO LUKOKI, por consequência, é um nacionalista e revolucionário progressista, que deve ser compreendido, na sua época e no seu tempo.

Caros camaradas,

Nascido na localidade de Quibocolo, na província do Uíge, norte de Angola, aos sete de Dezembro de 1940, o Camarada AMBRÓSIO LUKOKI era filho de Alves Lukau Garcia e de Teresa Luvambo.

Ingressado nas fileiras do MPLA em 1963, aos 23 anos de idade, desempenhou, durante a Luta de Libertação Nacional, funções de relevo, designadamente, as de coordenador dos estudantes angolanos na então República Federativa da Jugoslávia, de representante do Movimento no Egipto, no Médio Oriente, na Organização de Solidariedade dos Povos Afro-Asiáticos (OSPAA), na Tanzânia e na África do Leste.

Ainda nesse período da luta libertadora e já no interior de Angola, exerceu os cargos de coordenador do Departamento de Educação, Cultura e Desportos, na 3ª Região Político-Militar do MPLA, a Frente Leste, na província do Moxico, de director do Centro Escolar Augusto Ngangula e a de coordenador dos Serviços de Alfabetização.

Em 1974, o Camarada AMBRÓSIO LUKOKI foi eleito membro do Comité Central do MPLA, saído da célebre Conferência Inter-Regional de Militantes, realizada de 12 a 20 de Setembro desse ano, nas margens do rio Lundodoje, na província do Moxico, que, com poderes deliberativos, reviu e actualizou o Programa e os Estatutos do Movimento, ratificou a proclamação das FAPLA (Forças Armadas Populares de Libertação de Angola) e aprovou uma nova estrutura de direcção, consentânea à nova fase de luta do povo angolano.

Após a proclamação da Independência Nacional, foi eleito membro do Bureau Político do MPLA, do seu Comité Central e Secretário do BP para a Esfera Ideológica.

No aparelho do Estado exerceu as funções de Comissário Provincial do Uíge, de 1976 a 1977 e a de ministro da Educação, de 1977 a 1980.

De 1996 a 2001 trabalhou como director-geral do Bureau Africano das Ciências de Educação (BASE), instituição especializada da Organização de Unidade Africana (OUA), nos domínios da Educação, Formação e Pesquisas Científicas.

Na sua qualidade de professor universitário, vinculado ao Instituto Superior das Ciências da Educação (ISCED), da Universidade Agostinho Neto, exerceu docência, de 1983 a 1988, na província da Huíla, sudoeste de Angola, na sua unidade da cidade do Lubango.

No capítulo da formação académica, o Camarada LUKOKI era licenciado em Pedagogia, pela Faculdade de Filosofia da Universidade de Belgrado, República Federativa da Jugoslávia, concluída em 1969.

Consta ainda desse seu curriculum, o Ciclo Preparatório ao Doutoramento e o título de Mestre em Artes (MA), pelo Departamento de Psicopedagogia e de Andragogia da Faculdade de Ciências da Educação da Universidade de Montreal, no Canadá.

Pelo seu sentido de missão e de responsabilidade, no cumprimento de inúmeras obrigações no Partido e no Estado, o Camarada AMBRÓSIO LUKOKI mereceu as mais altas condecorações, das quais a Medalha de Combatente da Luta de Libertação Nacional.

Este ilustre combatente da Pátria angolana deixa esposa, filhos e irmãos.

O Bureau Político do MPLA, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do Partido, dirige-se à sua bendita família, vergado pela mesma dor e consternação.

O que lhes pedimos é coragem, muita coragem, para enfrentarem a perspectiva de ausência física do nosso querido camarada, do vosso estimado esposo e do insubstituível pai e irmão, um exemplo de modéstia, de dignidade, de companheirismo e de fé.

A sua memória sentir-se-á gratificada, porque garantimos que tudo iremos fazer, para que possamos ver concretizados os ideais porque sempre lutou: a Independência Nacional, a paz, o progresso e o bem-estar para os angolanos.

CAMARADA AMBRÓSIO LUKOKI “NZAKIMWENA”, PRESENTE!

REPOUSE EM PAZ, NOSSO CAMARADA!”.

/DIP CC

Fotos: DDS

Veja todas as notícias