MALANJE: Novo fôlego para os municípios - Moisés Pedro

“A província do Rei Ngola Kiluanji e da Rainha Njinga Mbande está apostada na vitória do MPLA” – 15.05.17.

 Malanje, 15 MAIO 17 (2ª FEIRA) – Duzentos e 21 apartamentos e mais de 70 vivendas foram já distribuídos na província de Malanje, no âmbito do Programa Nacional de Desenvolvimento dos Municípios, lançado em 2008 pelo Executivo.

Na senda dos vários subprogramas existentes, a província dispõe, igualmente, de outros projectos em execução, num total de 249 fogos habitacionais, para além de oito mil e 124 outros, em concepção.

No domínio do urbanismo e construção, foram concluídos 12 edifícios públicos, 34 infra-estruturas de saúde, 43 escolas e distribuídos 723 lotes para a autoconstrução dirigida.

Com uma extensão territorial de 97 mil e 602 quilómetros quadrados, a província de Malanje conta com uma actividade agro-pecuária que assenta na dinamização de projectos e acções a três níveis, onde incluem-se os de investimento público de produção de larga escala, como os do perímetro do Pólo Agro-Industrial de Capanda (BIOCOM, Pungo-Andongo, Pedras Negras, Quizenga), o de Avicultura Familiar orientada para o mercado (PIAFOM) e o Programa de Extensão e Desenvolvimento Rural.

O Pólo Agro-Industrial de Capanda, com uma área de 410 mil hectares, dos quais 13 mil e 500 virão a ser irrigados, é uma das maiores referências para o desenvolvimento do sector.

No que concerne à agricultura familiar, cerca de 100 mil famílias são assistidas pelo Governo, o que permite a cada uma cultivar em média 1,3 hectares, por ano. Para essa actividade, existem na província 979 associações de camponeses e 98 cooperativas.

Com vista a alavancar a campanha agrícola na província, foram concedidos créditos no valor de cerca de 120 milhões de Kwanzas, que beneficiaram 174 associações e oito cooperativas, num total de cerca de sete mil agricultores.

O montante de crédito subiu nos últimos anos para cerca de 152 milhões de Kwanzas, destinados a 154 associações. O crédito atribuído permitiu o acesso a imputes agrícolas, o aumento de áreas de cultivo com recurso à mecanização, o que teve um forte impacto na motivação dos camponeses para o associativismo.

O sector agrário na província de Malanje ocupa também um lugar preponderante, tendo sido feitas, nesse domínio, cerca de duas mil concessões de terras, com um total de mais de um milhão de hectares, dos quais mais de 80 por cento para a exploração pecuária e o restante para a agricultura.

Na área da geologia e minas, sabe-se que, na província de Malanje, existem importantes recursos mineiros no seu subsolo, nomeadamente, diamantes, ouro, rochas ornamentais, manganês, ferro, gesso, inertes diversos, águas bicarbonatadas, entre outros.

A actividade, nesse sector, restringe-se actualmente na exploração diamantífera de carácter industrial, através de duas empresas, a SOMIPA e a MAUA&CASSORI, associadas à ENDIAMA, nos municípios de Quirima e de Massango e alguma exploração artesanal.

Outra vertente da exploração mineira é a de inertes, impulsionada pela construção e reabilitação de infra-estruturas, que absorvem grandes quantidades de materiais de origem mineira (areia, pedra, burgau, laterite), assim como a exploração do calcário para a correcção de solos agrícolas.

Com 986 mil e 363 habitantes, a província do Rei Ngola Kiluanji e da Rainha Njinga Mbande, está apostada na vitória do MPLA, nas Eleições Gerais de 23 de Agosto próximo. Os próprios factos falam por si.

PortalMPLA/MP/JN/AB

Veja todas as notícias