MEMÓRIAS: 1ª delegação oficial do MPLA chegou a Luanda há 45 anos

Este relevante facto histórico simboliza a vitória de 14 anos de luta armada desencadeada pelo Movimento Popular de Libertação de Angola

PortalMPLA, 08 NOVEMBRO 19 (6ª FEIRA) –Em 08 de Novembro de 1974, chegava a Luanda a primeira delegação oficial do MPLA, depois de um árduo trabalho de conversações do qual resultou a assinatura do Acordo de Cessação de hostilidades entre o MPLA e o Governo colonial português.

Este relevante facto histórico simboliza a vitória de 14 anos de luta armada desencadeada pelo Movimento Popular de Libertação de Angola, travada contra o colonialismo português após cinco longos séculos de ocupação colonial portuguesa, do qual veria a culminar na Independência Nacional de Angola.

Integraram a delegação conduzida pelo camarada Lúcio Lara, então membro do Bureau Político, 26 nacionalistas e revolucionários oriundos de Lusaka e do Congo Brazzaville onde desenvolviam actividades de guerrilha entre os quais estavam representantes das mulheres (OMA), da juventude (JMPLA), dos pioneiros (OPA) e da organização sindical (UNTA).

Esta comitiva de libertadores da Pátria aterrou, no Aeroporto Internacional 04 de Fevereiro,  ex-Craveiro Lopes onde foi recebida em grande apoteose pela população que festejou a vitória com manifestações de regozijo em que expressavam a esperança da liberdade e a derrota do colonialismo.

Uma imensa multidão, encheu por completo o aeroporto, os arredores e as artérias da cidade de Luanda, num cenário jamais visto em Angola, com os militantes, simpatizantes e amigos do MPLA, a empunhar bandeiras, dísticos, cartazes e fotografias, dando vivas e ovacionando com palmas e assobios.  

A assinatura, do acordo de cessação de hostilidades, entre o MPLA e o Governo português, foi rubricado às 17 horas e 30 minutos, do dia 21 de Outubro de 1974, nas chanas de Lunyameji, na província do Moxico.

Esse acordo de oficialização de tréguas pôs termo aos anos de luta armada de libertação nacional de Angola, que teve início no dia quatro de Fevereiro de 1961 e abriu caminho a uma nova era de paz e progresso social tendo no horizonte a soberania e independência nacional.

O documento foi rubricado, pelo MPLA, pelo Saudoso Camarada Presidente Agostinho Neto e, pelo Movimento das Forças Armadas (MFA) de Portugal, pelo comodoro Leonel Cardoso. Com a assinatura desse acordo, o MPLA adquiria, perante as autoridades coloniais, o estatuto de organização política legal. 

Logo após a sua chegada, a delegação seguiu para o Bairro Rangel, onde inaugurou a Sede do MPLA em Luanda, cujas instalações foram cedidas pela senhora Dona Amália, que era proprietária de armazéns na área.

No acto político de massas que se seguiu, usaram da palavra os camaradas Lúcio Lara e Manuel Francisco Tuta “Batalha de Angola”.

Estiveram presentes os representantes das delegações dos governos da Tanzânia e da Zâmbia, que acompanharam a comitiva angolana desde Luzaka.

Com a instalação da sua Sede na capital angolana, o MPLA começava, assim, um intenso trabalho de mobilização das massas populares, que eram vítimas de intimidação e de morte, por parte de algumas organizações políticas que se opunham à independência nacional de Angola.

Este acontecimento foi , a concretização da vitória e o fim de uma luta dura que o povo angolano levou a cabo para a conquista da sua autodeterminação, que culminou com a proclamação da Independência Nacional de Angola, em 11 de Novembro de 1975.  

A República que nasce desta trajectória histórica é a concretização das aspirações de todos os angolanos , é a extensão a todo o país da liberdade já conquistada durante a luta armada de libertação do nosso país, é o produto do sacrifício dos combatentes nacionalistas, de todo o Povo Angolano.

 /HT

/www.mpla.ao

Veja todas as notícias