MPLA no Parlamento (19): Apoio à revisão do OGE de 2015

Assembleia Nacional vai debater documento, na generalidade, no dia 25. Na foto, o presidente do Grupo Parlamentar do Partido, camarada Virgílio de Fontes Pereira, que fez o anúncio, quinta-feira, 18, em Luanda.  

            

Luanda, 19 FEVEREIRO 15 (5ª FEIRA) – A Assembleia Nacional de Angola vai debater, na generalidade, em sessão plenária, na quarta-feira (25) da próxima semana, a proposta de lei do Executivo de revisão do Orçamento Geral do Estado para este ano e o MPLA anunciou que vai votar favoravelmente.

Sobre isso, o presidente do Grupo Parlamentar do MPLA, camarada Virgílio de Fontes Pereira, declarou, quinta-feira (18), em Luanda, que a iniciativa do Executivo é “objectivamente necessária, imprescindível e útil, para aquilo que o país precisa de fazer nos próximos tempos, em termos de gestão económica e financeira, para manter o ritmo de crescimento e de sustentabilidade da nossa economia”.

Virgílio de Fontes Pereira, que falava no final de uma conferência de líderes dos grupos parlamentares, orientada pelo presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade Dias dos Santos “Nandó”, afirmou que para o MPLA o mais importante é todos terem a consciência de que a actual crise cambial é resultante da baixa do preço de venda do petróleo bruto e que Angola não é o único país do Mundo que vive esta situação.

Por essa razão, explicou que, em função do que se passa hoje no mercado e na economia internacional, “nós, os angolanos, temos, também, que ajustar as nossas medidas e a primeira grande delas é, obviamente, a revisão do orçamento, no sentido de se criar o mínimo de estabilidade possível na execução dos projectos que estão em curso no país e manter o mínimo de satisfação dos angolanos”.

Virgílio de Fontes Pereira afirmou que ninguém de boa-fé pode contestar ou pôr em causa as razões que estão na base da revisão do Orçamento Geral do Estado e que, por isso, o Grupo Parlamentar do MPLA vai apoiar a decisão do Executivo.

Neste contexto, anunciou que o MPLA sabe que os pronunciamentos da oposição servem, apenas, para desviar aquilo que é essencial neste momento, a revisão do OGE, que não traz consigo, para já, a discussão do Fundo Soberano.

“Temos que nos preocupar hoje em saber de que modo é que o nosso OGE pode estar estruturado, com vista a manter o mínimo dos níveis do crescimento do país”, concluiu o parlamentar.

PortalMPLA/ER/AB 

Veja todas as notícias