OMA reitera defesa da mulher contra a violência doméstica e o abuso sexual

A organização feminina do MPLA defendeu, nesta 5ª feira (10), penas severas aos infractores em Angola.

PortalMPLA, 10 JANEIRO 19 (5ª FEIRA) - A secretária-geral da OMA, camarada Luzia Inglês Van-Dúnem “ Inga”, garantiu, nesta quinta-feira (10), em Luanda, que a organização feminina do MPLA vai continuar a identificar os principais constrangimentos com que se debatem as mulheres angolanas, mormente na questão do abuso sexual, na violência doméstica e na prevenção do HIV-Sida.

Luzia Inglês, que falava na cerimónia de cumprimentos de ano novo, realizada na Sede do Comité Nacional da OMA, revelou que um dos problemas que irá merecer, também, a atenção é a pobreza, cujos dados estatísticos – como disse - são assustadores.

No que respeita aos crimes de violência doméstica e de abuso sexual, a SG da OMA indicou que se vai “imprimir maior dinâmica no trabalho com as instituições judiciais e afins, para assegurar que a lei possa punir, de forma mais severa, os infractores”, para que “as condenações possam surtir o efeito desejado”.

Como guardiã e defensora das mulheres angolanas, a OMA comprometeu-se em continuar o seu trabalho de inserção política na sociedade angolana e a desenvolver uma maior proximidade às comunidades.

Noutra vertente, indicou que, para a concretização da melhoria das condições de vida da mulher angolana e das famílias, a OMA considera ser crucial o empenho sincronizado das instituições do Estado, das igrejas e de toda a sociedade, em geral.

A cerimónia foi prestigiada pela presença da vice-presidente do MPLA, camarada Luísa Damião.

/ER/AB

/Foto: DG

Veja todas as notícias