OPINIÃO: “Isto é perseguição racista e preconceituosa”

Carta aberta de desabafo de Carlos Gourgel “Charles”, um angolano residente em Portugal. 

 

Lisboa, 06 MARÇO 17 (2ª FEIRA) – “Sobre as reportagens que a SIC tem estado a fazer, a partir de Portugal, gostaria de dizer o seguinte:

Que ela falasse dos cinco bancos que faliram em Portugal. Ninguém está preso. Os únicos que foram presos são homens ligados à África ou ao Brasil. Eles cá protegem-se.

Face Oculta, Caso Lena, Freeport, Duarte Lima, etc., tudo documentado.

Enquanto havia o “boom” em Angola, estava tudo bem. Duzentos mil portugueses a porem divisas em Portugal. Ninguém dizia nada.

Angola é uma democracia com, apenas, 14 anos de existência. Tivemos, infelizmente, uma guerra de 40 anos, imposta e atiçada a partir do ocidente, onde incluem-se círculos reaccionários em Portugal. Venderam-nos, mas não nos deram o benefício da dúvida. Catorze anos depois, construímos mais do que nos 500 anos de colonização portuguesa.

Reconstruímos e modernizámos os caminhos-de-ferro de Benguela, de Luanda e de Moçâmedes, milhares de quilómetros de estradas foram asfaltadas, surgiram novos hospitais, novas universidades e novos aeroportos, entre outras infra-estruturas que ajudam Angola a revigorar-se.  

Luanda, que era uma cidade para meio milhão de pessoas, hoje habitam nela cerca de sete milhões. Fizemos novas cidades em quase todas as províncias que ajudaram a diminuir o sufoco da falta de habitação, que se assistia após o fim da guerra, em 2002.

Os cidadãos beneficiam de melhor assistência, construímos casas para os antigos combatentes, a custo zero, incluindo uma mesada. Qual é o país no Mundo que dá casa aos ex-combatentes de guerra?

Mandámos milhares de estudantes bolseiros estudar para todo o Mundo, porque antigamente o colono só deixava alguns angolanos estudar até à 4ª Classe.

Fomos preparados para assumirmos um país com tantos olhos gananciosos por cima.

O Presidente José Eduardo dos Santos sairá da Presidência da República e ainda falam que esteve muitos anos. Agora pergunto: Num país em guerra muda-se o Presidente?

Ele é o Presidente de um país em paz há apenas 14 anos, legalmente escolhido em eleições. De um país onde a oposição ao MPLA e ao seu Governo só passa a vida vir fazer queixinhas ao “papá colono”.

Qualquer angolano que tenha ou ponha cá (em Portugal) dinheiro, dizem que é proveniente da corrupção. Isto é perseguição racista e preconceituosa, porque quando Angola estava em grande, não vi a tal SIC a fazer entrevistas. Havia 200 mil portugueses a pôr divisas aqui.

Somos um país independente, um país soberano e não devemos nada a Portugal.

É preciso que se respeitem Angola e o seu povo e que Portugal trate dos seus corruptos, limpe a sua casa e não suje a dos outros.

Carlos Gourgel “Charles”, um cidadão angolano residente em Portugal”.

PortalMPLA/AB

Veja todas as notícias