OPINIÃO: Coesão e novos desafios – Epinelas Mateus

CREATOR: gd-jpeg v1.0 (using IJG JPEG v62), quality = 90“Que as novas cabeças, agora integrantes do Comité Central do MPLA, façam a diferença, com o seu trabalho”.

PortalMPLA, 15 JUNHO 19 (SÁBADO) - O MPLA acaba de, mais uma vez, dissipar dúvidas aos mais cépticos, não só pela sua hegemonia política, como pela sua visão de Estado e de desenvolvimento para Angola.

A esses factores intrínsecos à vida partidária consta a coesão entre os militantes, da base ao topo.

A frontalidade na abordagem introspectiva de temas, como a corrupção, a impunidade, o nepotismo, a bajulação e outras práticas lesivas à normal convivência em sociedade, deixou a clara convicção da mudança positiva de comportamento por parte dos membros dessa grande família.

Militantes provenientes de todas as províncias de Angola e do exterior esgrimiram os seus argumentos, visando o alcance dos objectivos do magno acto, enquanto marco assinalável no caminho que o MPLA está a percorrer ao longo dos tempos.

O 7.º Congresso Extraordinário do MPLA, dentre outros aspectos, rejuvenesceu a sua estrutura de direcção, nomeadamente, o seu Comité Central, que acaba de receber 134 novos membros.  

Destaque ao facto de o Partido ter alcançado os 42 por cento para o género e 61% aos militantes com idades até os 45 anos, acrescido ao facto de 125 dos 134 ora ingressados no CC terem formação superior, que – como referiu o Camarada Presidente João Lourenço – “ficou acima das nossas próprias expectativas”.

Bem-haja aos novos tempos e auguramos que as novas cabeças, agora integrantes do Comité Central do MPLA, façam a diferença com o seu trabalho, na construção de uma Angola melhor para todo o povo angolano.

/www.mpla.ao

/EP/AB

/Foto: JL  

 

 

 

Veja todas as notícias