Periferia de Luanda com mais água potável

Depois de alguns anos de imensas dificuldades, os moradores dos municípios luandenses de Cacuaco, do Cazenga e de Viana já estão sobremodo aliviados em relação ao abastecimento de água. 

Foi mesmo esta semana que a Empresa Pública de Águas de Luanda (EPAL) inaugurou um novo centro de distribuição de água potável, localizado no bairro dos Mulenvos, em Viana, de resto tido como o maior construído na capital. 

Esta acção do Executivo dá rescaldo ao programa do MPLA para o sector das águas, que visa assegurar a reposição e expansão das capacidades instaladas de abastecimento de água nas capitais de província e não só.

De concreto, o empreendimento está inscrito num dos projectos do Programa Água para Todos, já que as áreas periféricas da cidade de Luanda cresceram exponencialmente, pelo êxodo das populações deslocadas do interior do país, devido à guerra imposta em 1992, pela recusa da UNITA em aceitar a derrota eleitoral de então. 

Segundo o porta-voz da EPAL, Domingos Paciência, que falava à Rádio Luanda, o centro de distribuição tem uma capacidade de 20 mil metros cúbicos, conectado a quatro electrobombas, que distribuem o precioso líquido aos três municípios. 

Importa no entanto recordar que, além deste reforço, o município do Cazenga já possui um centro de distribuição próprio, sendo que o resto da cidade é abastecido pelos centros do Marçal, do Kikuxi, da Maianga, do Golfe e do Benfica.

Veja todas as notícias