PONTO DE VISTA: Lealdade ao MPLA

“O poder, que o povo angolano conferiu ao MPLA, deve ser exercido para servir ambos”.

 PortalMPLA, 07 DEZEMBRO 18 (6ª FEIRA) - O Comité Central do MPLA, órgão deliberativo máximo do Partido no intervalo dos congressos, reuniu-se ordinariamente no último dia do mês de Novembro passado, em Luanda, pela primeira vez sob a direcção do Camarada Presidente João Lourenço.

O CC realizou a sua 6ª Sessão Ordinária num ambiente de franca camaradagem, respeitando os princípios da democracia interna, pluralismo de opiniões e o direito à informação, com uma agenda criteriosamente preparada e aprovada.

O discurso de abertura, proferido pelo Camarada Presidente João Lourenço, clarificou a visão e a postura que os militantes devem assumir, para que o Partido cumpra a sua missão histórica, de edificação de uma sociedade justa, democrática e pluripartidária, de bem-estar e de progresso social.

O êxito desse grande desafio, que é de todos os cidadãos, tem um pressuposto, que reside na materialização do Programa e políticas do MPLA e a observância dos Estatutos, por parte dos militantes.

A exortação do dirigente máximo do MPLA foi, precisamente, no sentido da manutenção da “unidade e coesão do Partido, verdadeiramente comprometido com a transparência, a boa governação, com o combate contra a corrupção, contra a impunidade, contra o nepotismo, pela defesa dos direitos fundamentais dos cidadãos”.

A mensagem foi suficientemente objectiva, da qual se pode retirar importantes lições, tais como a lealdade ao Partido, o bem-servir ao povo, a assunção das responsabilidades, da disciplina e o cumprimento da lei.

Angola vive um momento crucial, em que os militantes do MPLA não podem vacilar. A lealdade ao Partido demonstra-se com ideais e convicções firmes, assentes na ideologia defendida pelo MPLA, que pugna pela resolução dos problemas do povo.

Significa dizer que, onde quer que trabalhe e qual seja o cargo que ocupe, o militante deve ser exemplar, resistindo a qualquer tipo de perturbações e evitar comportamentos errados, em defesa da imagem e do prestígio da própria organização política.

Servir o povo, incondicionalmente, é o princípio fundamental do Partido. Os militantes do MPLA devem tê-lo em mente e para poderem trabalhar pelo bem do povo. Devem ser os primeiros na busca das melhores soluções para a resolução dos problemas que Angola enfrenta.

Nesta conformidade, há o assumir das responsabilidades. Não pensar em esquivar-se delas, ocupando apenas o cargo sem trabalhar, eficiente e eficazmente e em lograr aplausos sem fazer esforço. Assumir a responsabilidade significa cumprir a sua missão de forma diligente, integral e efectiva, do princípio ao fim.

O poder, que o povo angolano conferiu ao MPLA, deve ser exercido para servir ambos, para servir os interesses públicos, conforme dita lei, em vez de subsidiar os interesses particulares.

/EMS/AB

/Fotos: DG

Veja todas as notícias