PRESIDENTE JOÃO LOURENÇO: Frases-chave da 1ª entrevista colectiva

“No mínimo, seria ingratidão se não gostasse de ser Presidente daqueles que me elegeram”.

 

PortalMPLA, 09 JANEIRO 18 (3ª FEIRA) - “Com relação ao Fundo Soberano, eu não diria que vou exonerar, mas pode acontecer”; “Talvez estejamos a olhar com olhos diferentes. Eu não sinto essa crispação nas nossas relações” (entre o Presidente da República e Vice-Presidente do MPLA, João Lourenço e o Presidente do MPLA e antigo Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos);

“Só compete ao Presidente José Eduardo dos Santos dizer se sairá da vida política activa, como prometeu”; “Nós não encontramos nenhuma oposição a que a Rádio Ecclésia estenda o seu sinal a todo o território nacional”; “Nós não estamos a pedir que o processo do antigo Vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, seja arquivado, mas sim que seja transferido para Angola”;

“Temos toda a paciência deste Mundo. Nós vamos continuar à espera pelo desfecho deste caso” (ainda em relação ao processo de Manuel Vicente); “Exoneração do Conselho de Administração da Sonangol foi por conveniência de serviço”; “Os termos do contrato são bastante lesivos aos interesses do Estado” (contrato entre a TPA e a Semba Comunicação); “A impunidade contribuiu para os elevados índices de corrupção em Angola”.

“No mínimo, seria ingratidão se não gostasse de ser Presidente daqueles que me elegeram”; “A luta contra a corrupção resume-se em duas palavras: coragem e determinação”; “Fiscalização dos actos do Executivo pela Assembleia Nacional é bem-vinda”.

Sede Nacional do Partido/AB

Fonte: Angop

Veja todas as notícias