PRESTÍGIO: Cidade angolana eleita Património Mundial

Mbanza-Congo, na província do Zaire, teve votação unânime, sábado (08), em Cracóvia, na Polónia, na foto.

 Luanda, 10 JULHO 17 (2ª FEIRA) - O centro histórico da Cidade de Mbanza-Congo ganhou sábado (08), por unanimidade, o estatuto de Património Mundial, fruto da inclusão na lista de bens e sítios culturais, protegidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

A candidatura de Mbanza-Congo teve votação unânime dos membros do Comité do Património Mundial, no âmbito da 41ª Sessão do Comité do Património Mundial, que teve lugar na cidade de Cracóvia, Polónia (foto).

Desde a fundação do Reino do Congo, no século 13, a cidade de Mbanza-Congo foi a sua capital, o centro político, económico, social e cultural, sede do Rei e a sua Corte e centro das decisões.

No século 17 foi a maior cidade da costa ocidental da África Central, com 40 mil habitantes autóctones e quatro mil europeus.

A cidade, que se encontrava no centro do Reino, em plena “idade de ouro”, que englobava os actuais territórios de Angola, da RDC, do Congo-Brazzaville e do Gabão, transformou-se numa urbe mística e espiritual do grupo etnolinguístico kikongo, do norte do País.

Com uma superfície de sete mil e 651 quilómetros quadrados, Mbanza-Congo faz fronteira, a norte com o município do Cuimba e pela RDC, a sul e a este pela província do Uíge e a oeste com os municípios pelos municípios do Tomboco e do Nóqui.

Com 155 mil e 174 habitantes, a cidade de Mbanza-Congo possui cinco bairros, nomeadamente, Sagrada Esperança, 4 de Fevereiro, 11 de Novembro, Álvaro Buta e Martins Kidito.

(Na foto, em 1.º plano, a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira e o governador da província do Zaire, Joanes André, na sessão de aprovação da candidatura de Mbanza-Congo).

PortalMPLA/AB

Fonte/foto: Angop

Veja todas as notícias