PRESTÍGIO: Prémio Mandela de Audácia 2016 para Presidente Agostinho Neto

O Fundador da Nação Angolana engrandecido (12) pelo seu combate heróico pela libertação de Angola, do Zimbabwe e da Namíbia.

 

Luanda, 31 DEZEMBRO 16 (SÁBADO) – O Fundador da Nação Angolana, Camarada Presidente Agostinho Neto, foi laureado (12), a título póstumo, com o Prémio Mandela de Audácia 2016, “em reconhecimento ao seu combate heróico, pela libertação de Angola, do Zimbabwe e da Namíbia”.

O referido prémio, uma atribuição do Instituto Mandela da Universidade Bordeaux Montaigne, em França, é concedida a personalidades ou instituições para recompensar as suas acções louváveis, a favor da África ou da paz.

“Na Namíbia, no Zimbabwe e na África da Sul está a continuação da nossa luta”. Com esta palavra de ordem, o saudoso Camarada Agostinho Neto, que na altura exercia as funções de Presidente do MPLA e da República Popular de Angola e o de Comandante em Chefe das FAPLA (Forças Armadas Populares de Libertação de Angola – então exército nacional único), resumiu a sua estratégia de solidariedade para com os povos da África austral, hoje reconhecida internacionalmente.

Esta palavra de ordem foi materializada com actos políticos e militares, que conduziram à libertação da Namíbia, do Zimbabwe e ao fim do regime de apartheid na África do Sul.

Um comunicado da Fundação Dr. António Agostinho Neto, a propósito, refere o seguinte: “A solidariedade de Angola teve um pesado custo, em vidas humanas, em mutilações e na destruição de infra-estruturas. Sem a visão estratégica de Agostinho Neto, provavelmente a Namíbia, o Zimbabwe e a África do Sul hoje não seriam países libertos”.

“A audácia ora premiada é um sinal de reconhecimento, ainda que tardio, de um líder e de um povo que ousou vencer o mito da superioridade de uma raça e da invencibilidade de um exército” – concluiu a nota da FAAN.

PortalMPLA/AB

Veja todas as notícias