SG DO MPLA valoriza músicas de intervenção dos anos da Independência

O camarada Boavida Neto qualificou, 5ª feira (21), o Sarau Cultural Vozes da Liberdade de momento muito bom.

PortalMPLA, 22 FEVEREIRO 19 (6ª FEIRA) – O secretário-geral do MPLA, camarada Boavida Neto (à direita, na foto), declarou, quinta-feira (21), em Luanda, que há músicas, das décadas de 1970 e 1980, que se contextualizam para reactivar aquilo que é o sentimento colectivo dos angolanos como Pátria.

(Na foto, momento da inauguração, pela vice-presidente do MPLA, camarada Luísa Damião, da exposição digital de Paulo Airosa, aos heróis nacionais).

Aquele dirigente, que era abordado por jornalistas, após ter presenciado o Sarau Cultural Vozes da Liberdade, realizado no princípio da noite no Memorial Dr. António Agostinho Neto, valorizou a realização do acto, em que músicos angolanos apresentaram temas de intervenção, cantados por eles próprios, por altura da proclamação da Independência Nacional de Angola, em 11 de Novembro de 1975.

Nas palavras de Boavida Neto, “esses momentos culturais são muito bons, porque nós também, para além do aspecto material e financeiro, precisamos de levar a componente espiritual. As pessoas devem ser diferentes, devem viver alegres e sentir uma Angola boa para se viver”.

O sarau comportou dois momentos, sendo o primeiro o da inauguração de uma exposição de pintura digital, sob o título “a textura na arte lírica de Manguxi” (do nome de Agostinho Neto, em kimbundu), de autoria do designer Paulo Airosa e o segundo, preenchido por músicas de intervenção dos anos da proclamação da Independência Nacional e por declamação de poesias.

/www.mpla.ao

/JA/AB

/Foto: DG

Veja todas as notícias