UIGE: Produção de café em grande escala ganha celeridade

Dez empresas compram a produção local e exportam-na para os mercados europeus e do Médio Oriente.

Luanda, 25 JUNHO 17 (DOMINGO) - A produção de café em grande escala, na província do Uíge, ganhou maior celeridade a partir de 2016, no âmbito da estratégia nacional de diversificação da economia.

Antes de 2010, muitos camponeses tinham abandonado esta cultura, optando por outras, mas o quadro mudou, fruto do incentivo que os cafeicultores têm estado a receber, para o incremento da produção. Dez empresas compram a produção local do café e exportam-na para os mercados europeus e do Médio Oriente.

No segundo semestre de 2016, durante a realização da 3ª edição da Bolsa do Café, na província do Uíge, foram registados resultados assinaláveis, fruto das parcerias entre os produtores e comerciantes, bem como da entrada, nesse segmento de mercado, de mais operadores nacionais e estrangeiros.

Nesse ano, os cafeicultores tinham previsto colher seis mil toneladas de café-mabuba (com casca), numa altura em que os preços estavam estipulados, por quilo, em 160 Kwanzas para o café-mabuba e 300 para o comercial.

O relançamento da produção do café conta com o apoio dos operadores do sector, que, além de comprarem aos produtores, também estão a conceder financiamentos, para custear as fases de capina, de colheita e o transporte.

Mas, para além deste aspecto particular, especialistas defendem a necessidade da aplicação de tecnologia de ponta, para passar-se para a cultura intensiva em capitais.

A produção do café na província do Uíge precisa de ser sustentada por gabinetes de estudos científicos, por laboratórios modernos e por fertilizantes, para torná-la mais competitiva.

PortalMPLA/JC/JN/AB

Veja todas as notícias