Um verdadeiro milagre angolano

Kilamba 30

Paulo Quaresma,
licenciado em Relações Internacionais

Luanda, 14/08 - Temos hoje uma Angola diferente. Sem dúvida. Quem viu este país em 2002, quando terminou a guerra imposta e olha para ele agora, pensa estar diante de um verdadeiro milagre. Um milagre que permitiu transformar as cinzas em felicidade.

O país está, praticamente, todo reconstruído. Existem milhares de escolas, de hospitais, de bancos, de habitações. Podemos viajar para qualquer sítio. De carro ou de avião, chegamos a qualquer lado. Há uns anos, isso era um sonho. Hoje é realidade.

O MPLA é o Partido que tem governado o nosso país, perante todas essas adversidades: guerra imposta, destruição, mortes, entre outros males. É o MPLA que reergueu esta Pátria amada por muitos homens de bem. É o MPLA que alcançou a paz e enterrou a guerra para sempre.

Estes factos são inegáveis.

É evidente que há muito, ainda, por fazer. Muito mesmo. Mas, o essencial já foi feito. Foi feito pelo MPLA, primeiro com Neto, agora com Dos Santos, na cadeia de mando.

Ninguém melhor que o MPLA para continuar na senda da paz, do desenvolvimento e da felicidade do povo angolano. Ninguém melhor que o MPLA conhece as aspirações do povo, de Cabinda ao Cunene. Sem olhar a cor da pele de cada um, sem qualquer tipo de discriminação.

O MPLA vai continuar a orgulhar os angolanos. Vai continuar a fazer o povo angolano sorrir. Isto é inegável. Se andarmos por todo o país, se passarmos por todas as províncias, se formos aos municípios mais longínquos, ficamos, sem dúvida, de boca aberta.

São estradas modernas que estão ser feitas, muitas habitações, muitas escolas, universidades, o acesso à água potável e à energia eléctrica em sítios que antes era impensável ir e visitar. São factos. Contra factos não há argumentos. Devemos continuar a confiar e a respeitar o MPLA e o Camarada Presidente José Eduardo dos Santos.

Há quem pense que ser um bom político ou Presidente da República é fácil. Mas não é. Há muita coisa que se tem de abdicar. Muitas vezes, em sacrifício da própria liberdade e sem contar com o risco da própria vida que isso implica. Só podemos assim, desta forma, agradecer a paciência do MPLA e do Camarada Presidente.

Ser humildes e agradecer, por termos saído de onde saímos e estarmos onde estamos agora. O futuro é promissor. O caminho não pode ser desviado. Ninguém mais quer guerra. A paz é a única via.

Ninguém, em pleno juízo, quer distúrbios. Ninguém quer perder o seu emprego. Ninguém quer tirar o seu filho da escola. Ninguém.
Existem, no entanto, infelizmente, aqueles que querem isso, porque julgam que só através da confusão terão protagonismo.

Eu, honestamente, não vejo ninguém, nenhum angolano que se preze, largar a sua bacia de fruta, ou os seus produtos de venda, ou o seu lápis ou computador, para pegar novamente em armas e não saber se acordaremos amanhã ou sequer se haveria um amanhã.

Vamos ter uma festa que todo o país merece. A verdadeira festa da democracia. A prova mais evidente de que existe democracia em Angola.

Vamos ter eleições.

Dia 31 de Agosto, todos teremos a oportunidade de ir às urnas e votar. Votar no Partido certo. Votar no MPLA. Temos que ser sérios neste período de reconstrução e desenvolvimento.

Ninguém tem a visão política, muito menos capacidade, para continuar o processo de desenvolvimento que reina em Angola, senão aquele que iniciou esse mesmo processo: o MPLA.

O compromisso entre o povo e o MPLA é muito sério. Mesmo os mais cépticos sabem disto. Melhorar as condições de vida das populações sempre foi a prioridade.

Queremos continuar a crescer mais e distribuir melhor a riqueza. É este o lema do MPLA. São falsos angolanos aqueles que dizem que não existe democracia em Angola. São falsos. São eles próprios inimigos da democracia, porque se esta não existisse não haveriam eleições.

Não nos podemos esquecer que a democracia é, ela própria, um processo. Não se importa de outros países. Tem que ser feita dentro de portas.

Tem que crescer, amadurecer. Tem que ser uma democracia angolana.

Todos os angolanos podem, no dia 31 de Agosto, provar que somos um país democrático, feliz e desenvolvido. Vamos honrar o nosso compromisso. Vamos ajudar o MPLA a continuar a luta intensa contra a fome e a pobreza. Vamos continuar a apostar no MPLA, ajudando o Partido a continuar a desenvolver mais escolas, mais hospitais, mais universidades, mais estradas, mais pontes, mais aeroportos, a criar condições nos campos, para a agricultura, para o turismo. Com o MPLA a vitória só pode ser certa.

Não duvidemos, nem nos deixemos levar por falsas promessas, por pessoas que não sabem governar. Vamos, no dia 31 de Agosto, molhar os nossos dedos e votar no número 2. No MPLA.

 Juntos vamos vencer. A luta continua.

Veja todas as notícias