VP DO MPLA: Não há partidarização em Angola

Luísa Damião sustentou, 4ª feira (31), em Grande Entrevista à TPA, que o partido vencedor das eleições “está no direito de escolher quadros da sua confiança”.

PortalMPLA, 02 NOVEMBRO 18 (6ª FEIRA) – A vice-presidente do MPLA, camarada Luísa Damião, refutou que haja partidarização em Angola, na escolha dos quadros que dirigem o País, desde que foi instalado, em finais do século passado, o jogo democrático multipartidário.

A número dois da hierarquia do Partido era entrevistada, quarta-feira (31), em directo, pela Televisão Pública de Angola, no âmbito do seu programa de recolha de pontos de vista dos líderes das formações políticas que têm assento na Assembleia Nacional, sobre o actual momento do País.

“Não acho que haja, assim, tanta partidarização, porque o partido que vence as eleições está no direito de escolher quadros da sua confiança. E em qualquer país do Mundo é assim que acontece. Não é que haja partidarização. Não” – sustentou.

Noutra vertente, a dirigente recordou que Angola foi, desde a sua génese, um Estado centralizado e que só em 2010, com a aprovação da sua primeira Constituição, prevê-se a criação das autarquias locais, o que deverá ocorrer a partir de 2020.

“Tivemos um Estado centralizado. A nova Constituição, agora, prevê a realização das autarquias, para nós descentralizarmos. Pensamos que, desta forma, é muito mais fácil resolver os problemas a nível dos municípios” – afiançou.

/AB

Veja todas as notícias