Angola lidera, na SADC, batalha contra a pobreza

CREATOR: gd-jpeg v1.0 (using IJG JPEG v62), quality = 80

Comentário de Hélder Cafala, politólogo.

Luanda, 01/03 – “Que Angola está a desenvolver-se cada vez mais, o Mundo já não duvida. O que surpreende, a mim, é quando alguns ‘angolanos’ duvidam disso.

Uma coisa é o Governo sair aos órgãos de Comunicação e fazer uma afirmação do género e outra é a Organização das Nações Unidas, uma instituição credível, vir a público, após pesquisas e estudos, trazer estes resultados.

Claro que só se atingem estes níveis com políticas bem definidas, concretas e com um grau de execução aceitável.

Só para lembrar os leitores de que esta política surge do Programa de Governo do MPLA, que apresentou este propósito como um dos objectivos do milénio para o povo angolano e que, a par das populações, estava a comunidade internacional expectante na implementação desta política, uma vez que a guerra deixou muitas sequelas nesta matéria e não havia muita esperança de que o problema da pobreza pudesse ser reduzido a um nível considerável, em tão pouco tempo.

Devemos referenciar que esta vitória não é só do Governo de Angola, mas, de todo povo angolano, dos parceiros internacionais e ainda de todos aqueles que, de uma maneira ou de outra, têm contribuído, com os seus pareceres, na discussão sobre a pobreza em Angola.

O representante das Nações Unidas, Domingos Mazivila, não abordou só a pobreza. Falou, também, do ensino e da inclusão das mulheres na tomada de decisão do país, o que foi alvo de elogios por parte das NU, que reconheceram o esforço do Governo para cumprir com os Objectivos do Milénio e melhorar, cada vez mais, a vida dos angolanos.

É claro que estes dados não nos podem adormecer, pois, ainda há muito que fazer e os dados divulgados também provam que não podemos deixar de felicitar o que já foi feito e continuar a arregaçar as mangas, voltar ao trabalho e cumprir com o que foi estabelecido.

Bem-haja o povo angolano”.