Em Angola a vitória é certa com dois dedos

Luanda, 18 - O recente sorteio, decorrido no Centro de Convenções de Talatona, em Luanda, colocou na segunda posição do Boletim de Voto o nosso glorioso MPLA.

Há quem, dentre nós, talvez desconheça a razão de um sorteio, ou seja rifa, em democracia, esta palavra definida pela primeira vez na Grécia menor, como sendo o poder popular.

De forma miúda, posso aqui adiantar que esta rifa em democracia é normal e resume a igualdade em que são submetidos os concorrentes ao escrutínio, e que para nós, angolanos, está conforme à nossa Constituição e à Lei Eleitoral.

A razão da competição entre os concorrentes, como é óbvio, fixa-se na observação e manutenção da paz e de um Estado democrático de direito, que protagoniza o bem-estar do povo angolano, em que o MPLA, desde a sua fundação, soube sempre amar o seu povo, sem cessar.

Hoje, mais do que nunca, a escolha deste desiderato traduz-se na vontade do povo, que sabe galvanizar-se nas suas participações em manifestações de massas, como na defesa da Pátria e na reconstrução nacional; poder-se-á esta vontade encontrar-se no número 2 do Boletim de Voto, que, connosco, vai até 31 de Agosto do corrente ano.

Como sabemos, o 2 é o terceiro dos números naturais, antecedido do 0 e do 1 e sucedido pelo 3 e outros.
Sei dizer que a maioria qualificada, nas Eleições Legislativas de 2008, coube ao actual número 2 (o MPLA), tendo o precioso povo angolano votado em grande.

Sinal de boa visão dos números submetidos nos boletins de voto, desta vez não será diferente.

Pelo número atribuído ao MPLA, caso nos transferíssemos para o mundo do futebol, estaríamos perante um bom defesa, aquele que tem o compromisso de defender. Defensor da paz, da democracia, da reconstrução nacional e do desenvolvimento, num espaço que se constrói o dia-a-dia - os caminhos-de-ferro, as escolas, os hospitais e tudo o mais.

Somos, mais uma vez, chamados a exercer o nosso direito de cidadania, vivido no respeito, no patriotismo, na tolerância, na camaradagem, tendo sempre em mente de que, com o dois, a vitória é certa.