Urbanizações e centralidades, a aposta sábia do Executivo angolano

Nvuidi

Artigo de Paulo Nvuidi, politólogo e docente universitário.

Luanda, 04 Junho 13 – “Um mês antes, o Chefe do Executivo angolano, Engenheiro José Eduardo dos Santos, visitou alguns projectos de urbanização, lançados há quase três anos na cidade capital, para constatar o seu estado de andamento.

Estas empreitadas, já na sua fase final, fazem parte de um pacote de políticas sociais, aprovadas pelo Executivo, no quadro da melhoria da vida dos cidadãos e, obviamente, proporcionar uma vida moderna e bem organizada, em termos de urbanização e socialmente.

Como é óbvio, o Estado angolano, sendo de direito, tem no seu programa, politicas de protecção e assistência social, que visam, essencialmente, a satisfazer este propósito e os demais.

Outrora, nos anos em que o país caracterizava-se cinzento, tais projectos eram propriamente inimagináveis, porque, efectivamente, as prioridades eram outras. Primava-se pela defesa da integridade territorial, pela unidade e reconciliação nacional e pela procura de uma Paz duradoura.

Portanto, esta é uma aposta oportuna, sábia e, francamente, é de sustentar. Como sabemos, visa, essencialmente, dar dignidade às famílias que vivem em zonas de risco e que carecem de meios para erguerem uma casa própria e condigna. Angola sai a ganhar, em termos de imagem, arquitectura e sustentabilidade.

Neste contexto, o auxílio dos administradores municipais ao Executivo central, no que tange à fiscalização e, naturalmente, à preservação, depois da sua total conclusão, é fundamental, para que, efectivamente, o esforço empregue e os objectivos preconizados se materializem positivamente.

Isto é, propriamente, fruto da Paz. Como é do nosso conhecimento, o Chefe de Estado, o glorioso MPLA e as instituições têm-se empenhado, afincadamente, para que este precioso bem, (a Paz), reine para sempre no seio das populações e de todas as instituições.

Neste novo contexto de Paz, conquistada há, apenas, 11 anos, o nosso grande Partido, o MPLA, o seu Guia e o Executivo tudo têm feito para que ela se torne cada vez mais efectiva, forte e firme. E, certamente, vão conseguir materializar todos os seus sinónimos, para o bem-estar da Nação angolana e de todos os seus filhos.

Hoje, não obstante algumas juniores lacunas, somos todos orgulhosos deste bem e, paulatinamente, vamos satisfazendo os nossos anseios, bem como, também, o futuro dos nossos “candengues”, numa perspectiva risonha.

Em suma, preservemos a Paz, para que continuemos a usufruir dos seus inúmeros benefícios.

Contrariamente, seremos vulneráveis ao jogo dos inimigos da paz, de todas as matizes, com todos os males que daí advêm”.

PortalMPLA/PN/AB