1ª REUNIÃO DO SBP COM QUADROS: Discurso do SG do MPLA

Intervenção do camarada Paulo Kassoma, feita (19.02.18), na Sede Nacional, na abertura da reunião com os quadros do aparelho central e do CPP de Luanda.

 

“Caros camaradas,

Em nome da Direcção do Partido, em particular do Camarada José Eduardo dos Santos, Presidente do MPLA e do seu Vice-Presidente, o Camarada João Manuel Gonçalves Lourenço, aproveito a oportunidade para saudar, todos os presentes.

Esta é a segunda reunião que realizamos neste formato, desde a realização do 7.º Congresso do Partido; a primeira aconteceu a 15 de Junho de 2017, quando faltavam pouco menos de 50 dias para as Eleições Gerais. Obviamente que o tema das eleições dominou a agenda de trabalho daquele encontro, cuja tarefa essencial era a de avaliarmos o nível de prontidão das nossas estruturas nos diferentes escalões, o seu engajamento na mobilização dos nossos militantes, amigos e simpatizantes, em particular e, de um modo geral, dos cidadãos eleitores, para votarem no MPLA e no seu candidato a Presidente da República, o
Camarada João Manuel Gonçalves Lourenço.

Caros camaradas,

Hoje, aprovado que está o Plano Geral de Actividades para o ano de 2018, do qual se extraiu a Agenda Política do Partido, apresentada no final da semana passada, na província de Malanje, entendemos estarem criadas as condições para realizarmos este encontro.

Assim, devemos trocar pontos de vista sobre aqueles temas e alinhar posições que nos permitam prestar uma informação coerente e mais detalhada sobre a preparação das eleições autárquicas e sobre o sistema de comunicação e informação interna do Partido.

Nesta conformidade, participam desta reunião os membros do Secretariado do Bureau Político, a coordenadora da Comissão de Disciplina e Auditória, os directores do Comité Central e quadros do aparelho central do Partido, os secretariados Executivo e Nacional da OMA e da JMPLA, respectivamente, as direcções das organizações associadas ao Partido, a Direcção Alargada do Grupo Parlamentar e os membros da Comissão Executiva do Comité Provincial do MPLA em Luanda.

O objectivo central da reunião é o de capacitar e potenciar os quadros, transmitindo orientações fundamentais sobre as medidas e as acções que o MPLA realizará em 2018.

É importante compreender e afinar a postura que deverá ser adoptada nesta fase pelos nossos militantes e dirigentes do Partido nos diferentes níveis e, na mesma perspectiva, auscultar as preocupações, as dúvidas que se colocarem e as sugestões a ter em conta.

Distintos camaradas,

No âmbito do processo de reestruturação do Secretariado do Bureau Político, foram criados os departamentos:

- para a Reforma do Estado, Administração Pública e Autarquias;

- para a Política Social;

- para a Política Económica e

- para as Organizações Sociais e na Sociedade Civil.

Por força dessa reestruturação e do novo quadro político vigente, da formação do novo Governo, da tomada de posse dos deputados na Assembleia Nacional e, ainda, por força da movimentação de quadros, quer por via de nomeação, quer por via da sua eleição para diferentes órgãos, entre os quais a Magistratura Judicial, a Direcção do Partido procedeu à eleição de novos membros do Bureau Político, de novos membros do Secretariado do Bureau Político e da coordenadora da Comissão de Disciplina e Auditoria do Comité Central.

Promoveu, igualmente, entre os meses de Novembro e Dezembro do ano passado, a realização de conferências provinciais extraordinárias, para a eleição de primeiros secretários provinciais, nas províncias de Cabinda, Lunda-Sul, Uíge, Moxico, Namibe e Luanda.

Brevemente e como resultado da recente nomeação da nova governadora da província do Bengo, a Direcção do Partido promoverá, igualmente, uma Conferência Extraordinária naquela província, com o mesmo objectivo.

O Bureau Político aprovou na sua reunião 1ª Reunião Ordinária, de 23 de Janeiro último, o princípio de eleição de novos segundos-secretários do Partido, em 14 províncias do País, visando eliminar as desvantagens funcionais decorrentes da prática da acumulação do cargo de segundo-secretário do Partido, com a função de deputado da Assembleia Nacional, nomeadamente, nas províncias de Cabinda, Cuanza-Norte, Cuanza-Sul, do Zaire, Bengo, Luanda, de Benguela, Malanje, Huambo, do Bié, da Lunda-Norte, da Lunda-Sul, do Moxico e do Cuando-Cubango.

Foi, igualmente, eleito um novo segundo-secretário do Partido na província do Namibe, na sequência da eleição do anterior ao cargo de primeiro-secretário provincial.

Todas essas alterações visam corresponder, com a máxima prontidão, às exigências impostas pelo desenvolvimento político, económico e social do nosso País, para que possamos estar preparados a dar todo apoio ao Executivo, no sentido de implementar o Plano Nacional de Desenvolvimento 2018/2022.

Caros camaradas,

Os vectores do nosso combate político vão estar virados para o reforço da capacidade organizacional e preparação das estruturas intermédias e de base do Partido para as eleições autárquicas, numa perspectiva temporal da sua realização mais próxima que distante.

Estão bem definidas na Agenda Política, que será aqui comentada pelo camarada Jú Martins, as orientações e as tarefas a serem realizadas pelas estruturas do Partido nos diferentes escalões, pelo Grupo Parlamentar e pelas organizações sociais e associadas.

É fundamental adoptar uma abordagem clara e objectiva sobre a nossa perspectiva das eleições intercalares, com os nossos militantes, amigos e simpatizantes, para que estejamos em condições de mobilizar, motivar e fidelizar a sociedade e os potenciais eleitores em torno do MPLA.

De viva voz, o Camarada Carlos Feijó, secretário para Reforma do Estado e Autarquias Locais, terá aqui a oportunidade de detalhar este assunto.

Caros camaradas,

Reportando-me à vida interna do Partido, importa reiterar que devem merecer maior atenção os seguintes pressupostos:

1. A coesão no seio do MPLA, para que possamos reforçar a nossa unidade de acção e de pensamento, para o cumprimento dos nossos objectivos estratégicos;  

2. A superação das debilidades de organização e funcionamento das estruturas intermédias e de base do MPLA e das suas organizações sociais, tendo em conta as insuficiências constatadas e, em alguns casos, a inoperância total das organizações de base do Partido, da OMA e da JMPLA;

3. Melhor organização, sistematização e controlo efectivo da base de dados dos militantes controlados. As Eleições Gerais de 2017 evidenciaram a fragilidade da qualidade da informação prestada à Direcção do Partido. Como já referi noutras ocasiões, há províncias que nos apresentaram mais militantes na sua base eleitoral, do que o número total de eleitores no respectivo círculo provincial;

4. A disciplina, o rigor, o respeito, a ética nas relações de trabalho, a pontualidade, o combate à intriga, o combate à proliferação de informações falsas e a divulgação de documentos e/ou conteúdos de decisões reservadas apenas à Direcção do Partido, particularmente nas redes sociais, que, geralmente, mais do que atingir pessoas tendenciosamente visadas, prejudica o MPLA;

5. A necessidade de inversão da excessiva burocratização na operacionalização das decisões do aparelho central e dos órgãos e organismos de direcção do Partido para as estruturas intermédias e destas para estruturas imediatamente inferiores: o tempo, o espaço e as oportunidades são factores cada vez mais decisivos nesta nova fase;

6. A necessidade de repensar a valorização e o papel do activista do MPLA na fase actual;  

7. A promoção e o controlo do movimento associativo nas comunidades, particularmente no seio das mais vulneráveis.

Estimados camaradas,

Está em curso, de acordo com as orientações do Presidente do MPLA, uma série de acções com vista a:

1.Maior e melhor valorização dos quadros e funcionários do Partido e das suas organizações sociais e associadas, a nível nacional;

2. Avaliação, legalização e rentabilização do património imobiliário do Partido, a nível nacional;

3. A revitalização e robustecimento do processo de autofinanciamento do Partido e

4. A implementação do sistema de modernização tecnológica, a nível nacional, de modo a optimizar os serviços e os sistemas integrados de comunicação, para assegurar uma melhor

Interacção e fluidez de informação entre as estruturas do Partido, nos diferentes escalões.

É imperativo fortalecer e capacitar internamente o nosso Partido, melhorando o nosso desempenho, a nossa postura, os métodos e o nosso ambiente interno de trabalho, para sermos verdadeiramente decisivos, enquanto mola impulsionadora do desenvolvimento de Angola e dos processos de transformação que o País vive nesta fase.

De acordo com a Agenda de Trabalho proposta para esta reunião, constante do respectivo Plano de Realização, aprovado pelo Secretariado do Bureau Político, vou passar a palavra ao camarada Jorge Inocêncio Dombolo e, posteriormente, aos demais secretários do Bureau Político, para apresentarem, no âmbito do seu domínio de intervenção, os pontos constantes da ordem do dia.

Muito obrigado”.

/PortalMPLA

Foto: DDS