CC DO MPLA: Discurso do PR na 1ª Sessão Extraordinária

“OBJECTIVO FUNDAMENTAL É VENCER AS ELEIÇÕES GERAIS DE 2017” – 21.04.17.

 

Luanda, 21 ABRIL 17 (6ª FEIRA) – Discurso do Camarada Presidente José Eduardo dos Santos na abertura, 6ª feira, 21, da 1ª Sessão Extraordinária do Comité Central do MPLA:

“Distintos membros do Comité Central,

Caros camaradas,

Na última reunião do Comité Central, realizada nesta sala, no dia três de Fevereiro do corrente ano, aprovámos a lista completa de candidatos efectivos e suplentes a deputados da Assembleia Nacional, que a Direcção do Partido vai apresentar às Eleições Gerais de 2017.

Vamos, hoje, apreciar as resoluções sobre a aprovação da referida lista e sobre os eventuais ajustamentos a introduzir.

Não iremos, naturalmente, proceder à alteração dos candidatos constantes na lista já aprovada pelo Comité Central, mas tão-somente conferir ao Bureau Político a competência, através de uma resolução aprovada pelo Comité Central, para que ele efectue eventuais ajustamentos na sua ordem de precedência, os quais podem ser ditados por factores imponderáveis como, por exemplo, a morte, a doença ou mesmo a desistência de uma candidatura, etc.

Devemos, pois, encarar o eventual reposicionamento dos candidatos como uma questão meramente estratégica do Partido, cujo objectivo fundamental é vencer as Eleições Gerais de 2017.

Assim, o foco do nosso pensamento e da nossa acção deve centrar-se na obtenção de uma vitória eleitoral expressiva, que garanta ao MPLA a implementação do seu projecto de sociedade, de unidade nacional e de desenvolvimento económico, político e cultural.

Por outro lado, esta reunião extraordinária do Comité Central deve apreciar as propostas de alteração aos regulamentos de organização e funcionamento das estruturas do MPLA, documentos que reputamos de importantes, já que visam melhorar a vida interna do Partido, conferindo maior dinâmica, flexibilidade e capacidade de acção à organização e funcionamento dos nossos órgãos, organismos e estruturas.

Teve-se em conta que a ausência de uma boa organização pode afectar negativamente o desempenho do nosso Partido e, por essa razão, estamos a colocar no centro das nossas preocupações a necessidade de aperfeiçoamento da nossa organização.

De facto, a organização é a peça-chave para o êxito do nosso Partido, principalmente agora que nos aproximamos, a passos largos, das Eleições Gerais, que vão determinar o futuro da Nação, nos próximos anos.

O que pretendemos com esta estruturação é, pois, garantir maior eficácia e optimização na execução das nossas tarefas partidárias e o aumento dos índices de confiança no Partido, por parte dos eleitores, em geral.

Camaradas membros do Comité Central,

Na actual situação económica e financeira do País, damos particular atenção ao controlo da inflação, à estabilização das reservas internacionais líquidas e à aceleração dos processos que reduzam a dependência externa no acesso aos bens essenciais de consumo e conduzam à diversificação das receitas fiscais.

Temos, neste momento, boas razões para confiar numa trajectória descendente da inflação, que já se situa próxima do intervalo que ambicionamos, de uma variação mensal dos preços não superior a 1,5 por cento.

A canalização meticulosa dos recursos cambiais para a importação dos bens de primeira necessidade e dos insumos necessários à sua produção, a par de uma política de rendimentos compatível com a trajectória de ajustamento que foi traçada, têm permitido uma redução sensível dos preços dos bens da cesta básica, protegendo as famílias de menor rendimento.

Foram definidas medidas concretas para estimular o fomento e o aumento da produção nacional, com vista a reduzir, paulatinamente, as importações daqueles produtos que podem ser produzidos internamente e a aumentar a diversificação e as exportações.

Contudo, o quadro de predominância de bens importados, em que ainda nos encontramos, impede de momento a adopção de medidas cambiais e monetárias clássicas, como seriam uma desvalorização da nossa moeda - para protecção das reservas nacionais - e uma subida concomitante das taxas de juro - para suster a inflação que daí pudesse advir -, porque o efeito combinado destas medidas iria desacelerar o investimento privado indispensável à diversificação sustentável da nossa economia.

Pensamos, assim, ter criadas as condições para atender melhor as necessidades da população e da economia.

Com estas breves palavras, eu declaro aberta esta reunião do Comité Central”.

PortalMPLA/Sede Nacional do Partido

Foto: DDS