JES: “MPLA vai continuar a renovar a sua forma de governar”

MBANZA-CONGO, 21.08.12 - DISCURSO DO CAMARADA PRESIDENTE JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, NA CAMPANHA ELEITORAL ÀS ELEIÇÕES GERAIS DE 2012.

“Caros compatriotas,
Estimados amigos!

É com muita satisfação que regresso a esta histórica cidade de Mbanza-Congo, que, há mais de 500 anos, era já uma cidade desenvolvida, capital de um reino organizado, que abrangia um território muito para além das nossas actuais fronteiras.

Neste local, tiveram lugar alguns dos primeiros contactos pacíficos e em pé de igualdade, entre as nossas populações e os europeus, que aqui construíram a primeira igreja, ao sul do Sahara, a Igreja Nkulumbimbi e muitas outras obras públicas, como palácios, escolas e tribunais, hoje desaparecidos ou em ruínas.

Nessa altura, havia, aqui, um poder de Estado bem estruturado e um governo com princípios, normas, métodos e tradições, que regiam a vida da sociedade.

Essa herança material e imaterial está a ser estudada pelas entidades competentes do nosso Executivo. Quero, aqui, reafirmar o compromisso do MPLA, de tudo fazer para que esta cidade possa recuperar a grandeza do seu passado e ser elevada à merecida categoria de Património da Humanidade.

Para tal, não basta resgatar da terra os tesouros nela enterrados, mas, sim, recuperar e modernizar as suas infra-estruturas e conferir uma qualidade de vida cada vez maior aos seus habitantes, garantindo-lhes habitação, energia, água potável, educação, emprego e condições materiais para o seu sustento e o das suas famílias.

Nesse sentido, vários projectos estão em curso, não só aqui, mas em toda a província do Zaire, em especial os da reabilitação e construção de estradas e pontes, para permitir restabelecer a circulação de pessoas e bens, entre as suas principais localidades.

A recuperação de edifícios oficiais, a construção de residências, escolas e centros de saúde, o estabelecimento de redes de produção de energia e água e de outros projectos de âmbito social e desportivo também demonstram que o Governo do MPLA está atento às necessidades desta província e lhe confere a importância que merece, no todo nacional.

Sabemos que acabar com o atraso económico, com a fome, a pobreza, a doença e o analfabetismo é um grande e difícil desafio.

Mas, nós apostamos na formação de uma geração mais preparada para enfrentar esse desafio e vencê-lo. Continuaremos a formar o homem.

Acreditamos na força, coragem e determinação da juventude angolana. 

Tal como se empenhou na guerra, para a defesa da Pátria e na conquista da paz e triunfou, a nossa juventude também vai, desta vez, ajudar a construir a nova Angola, que garanta bem-estar para todos.

Acreditamos, também, nos nossos empresários, que, sem dúvida, vão aproveitar as infra-estruturas básicas e económicas, que estamos a construir, para realizarem negócios, que promovam o acréscimo da produção de bens e serviços, a criação de empregos e o aumento da riqueza nacional.

Um dos projectos mais ambiciosos, em fase de materialização, nesta província, é o da produção de gás liquefeito, o projecto LNG.

Há outros projectos relevantes em vista, nos domínios mineiro, industrial e agrícola. Todos eles podem gerar um grande número de postos de trabalho e dinamizar toda a vida económica da província.

Para tal, é necessário que o nosso povo continue a acreditar, que só o MPLA está em condições, pela sua experiência e pelo número e qualidade dos seus quadros, de dar continuidade a esses grandes projectos de desenvolvimento, que colocam o nosso país entre os que mais crescem no Mundo.

Estamos conscientes de que, para continuar a ser o Partido da mudança para melhor, o MPLA precisa de se renovar permanentemente e continuar a realizar os anseios do povo angolano.

O MPLA vai continuar a renovar a sua forma de governar, a aperfeiçoar e a aumentar o rigor no controlo e aproveitamento dos recursos públicos.

Já estamos a direccionar melhor os recursos disponíveis, para a melhoria da qualidade de vida das famílias angolanas e estamos empenhados em criar mais oportunidades para os jovens e as mulheres.

O voto no MPLA, no próximo dia 31 de Agosto, é a condição indispensável para que continue a governar, fazendo Angola crescer cada vez mais e distribuir melhor.

Discurso (21/08) do Pai da Nação em comício massivo em Mbanza-Congo