SADC: MPLA defende mais intercâmbio entre partidos do Governo

Dino

Pretória (África do Sul), 07/03/13 - Discurso integral do SG do MPLA, camarada Julião Mateus Paulo “Dino Matrosse”, na Reunião dos Secretários-Gerais dos Antigos Movimentos de Libertação da África Austral.   

 

“ESTIMADOS CAMARADAS SECRETÁRIOS-GERAIS DO ANC, DO CCM, DA FRELIMO, DA SWAPO E DA ZANU-PF;

ESTIMADOS INTEGRANTES DAS DELEGAÇÕES PRESENTES; DISTINTOS CAMARADAS E AMIGOS.

 

Tenho a honra de, em primeiro lugar, agradecer a Direcção do ANC, pelo acolhimento caloroso e fraternal a que a delegação do MPLA tem sido alvo, desde a nossa chegada a esta bela cidade de Pretória.

Todo o carinho e atenção que nos são dedicados significam, para nós, a expressão das excelentes relações de irmandade e amizade que nos unem, desde os longínquos anos da luta armada de libertação nacional dos nossos povos pela Independência Nacional e pelo fim do apartheid.

Em nome da Direcção do MPLA e, em especial do Camarada Presidente José Eduardo dos Santos, permitam-me, saudar, calorosa e fraternalmente, todos os participantes a esta reunião e expressar os nossos agradecimentos à Direcção do ANC, pelas excelentes condições criadas para a realização deste importante evento para os nossos partidos e países.

 

Distintos camaradas e amigos,

 

Pela importância que esses encontros assumem, nunca é demais felicitar todos os partidos aqui representados, pelos esforços que cada um tem estado a fazer para o reforço desta cooperação, entre os nossos partidos políticos, que não tem registo similar nos anais da história do nosso continente.

Depois da nossa última reunião, realizada em Harare, Zimbabwe, em Junho de 2012, várias são as ocorrências que tiveram lugar em cada um dos nossos países e que merecem ser, aqui, partilhadas.

Em Angola, a realização das Eleições Gerais de 31 de Agosto de 2012 foi, sem dúvida, o acontecimento de maior relevo. O MPLA ficou satisfeito pela presença de delegações dos partidos irmãos aqui representados, que desempenharam, com brio, o papel de observadores às eleições, acção que queremos, mais uma vez, agradecer em nome de todos os militantes e dirigentes do MPLA.

Nas eleições em referência, o povo de Angola sufragou o Programa de Governo apresentado pelo MPLA, liderado pelo Camarada José Eduardo dos Santos, com uma maioria qualificada de 71,84% de votos. Este resultado representa uma ampla e inequívoca aceitação do referido programa, que traduz as grandes aspirações do povo angolano e inaugura uma nova fase de desenvolvimento para o país.

O foco do Programa para o período 2012-2017 continua a ser o combate à fome e à pobreza e o aumento da qualidade de vida do povo angolano, transformando a riqueza potencial, que constituem os recursos naturais de Angola, em riqueza real e tangível para os angolanos.

Para ser mais preciso, direi que o referido Programa está assente nos seguintes seis eixos: Melhorar a qualidade de vida dos angolanos; Elevar a inserção da juventude na vida activa; Garantir os pressupostos básicos necessários ao desenvolvimento; Apoiar o empresariado nacional; Consolidar a paz, reforçar a democracia e preservar a unidade e coesão nacional; Reforçar a inserção competitiva de Angola no contexto internacional.

Como se pode ver, nesses eixos principais, as ambições e os objectivos do nosso Programa de Governação têm uma forte motivação de justiça social e de desenvolvimento humano.

A sua concretização assenta numa estratégia de crescimento económico, em que o investimento público e o investimento privado, em projectos estruturantes do sector público, constituem a plataforma para o desenvolvimento da economia nacional.

As nossas prioridades, neste domínio, vão centrar-se na economia não petrolífera, conferindo um papel mais relevante aos sectores mineiro e imobiliário, à agricultura, à indústria transformadora, às redes de distribuição, à circulação mercantil, à prestação de serviços de qualidade e à concorrência empresarial, susceptível de conduzir à redução dos preços no consumidor.

O Governo de Angola está, igualmente, engajado na preparação do Censo Geral da População, que terá lugar em 2014, pela primeira vez numa Angola independente, bem como das primeiras eleições autárquicas, cuja data será fixada.

Ao nível da vida interna, estamos envolvidos no processo de balanço e de revitalização das estruturas do Partido e na realização de outras acções inseridas na Agenda Política do MPLA para 2013, não só para assegurar êxitos nos próximos desafios, mas, também, para garantir que o Programa do Governo seja implementado, de modo a cumprir as promessas eleitorais.

 

A referida agenda inclui, entre outros pontos: A dinamização de programas de formação e de capacitação política e ideológica dos militantes, quadros e dirigentes do Partido; A adopção de métodos mais modernos de tratamento de dados estatísticos do Partido; A realização do Encontro Nacional de Quadros; A realização de acções multidisciplinares, com vista a uma maior inserção da juventude e da mulher na vida activa da sociedade.

 

Distintos camaradas e amigos,

 

Depois de analisarmos o excelente nível alcançado por este mecanismo de cooperação entre os nossos partidos, pensamos que é chegado o momento de elevarmos um pouco mais o nível das nossas ambições, envolvendo-nos em acções de intercâmbio, que não se limitem aos mais altos dirigentes, mas que abarquem outros níveis de dirigentes e, mesmo, os quadros e militantes, para assegurar que cada um dos nossos partidos saia, de facto, reforçado com o conhecimento e as experiências dos outros.

Termino, reiterando os nossos agradecimentos ao ANC, pela hospitalidade e manifestando a nossa confiança de que as deliberações, ao longo desta reunião, virão reforçar, ainda mais, as relações de amizade, de solidariedade e de cooperação entre os nossos partidos.

Desejo plenos sucessos a esta Reunião dos Secretários-Gerais dos Antigos Movimentos de Libertação da África Austral.

 

A Luta Continua!

A Vitória é Certa!

Muito obrigado pela vossa atenção”.